Internacional

Massacre na escola primária do Texas: vídeo mostra que polícias demoraram mais de uma hora a intervir

13 julho 2022 14:43

Mara Tribuna

Mara Tribuna

Jornalista

Ataque à escola primária, no Texas, fez 21 mortos

marco bello/reuters

Novas imagens de videovigilância do ataque a uma escola primária do Texas, no dia 24 de maio, mostram que os agentes entraram logo três minutos após o atirador, mas ficaram mais de uma hora num impasse, à espera nos corredores. “Podiam ter salvo algumas vidas”, em vez de ter “ficado ali parados”, revoltam-se os familiares das vítimas

13 julho 2022 14:43

Mara Tribuna

Mara Tribuna

Jornalista

O massacre na escola primária do Texas que ocorreu no dia 24 de maio está a gerar uma nova onda de revolta. Há cerca de dois meses, 19 crianças e dois professores foram assassinados na Escola Primária Robb, na cidade de Uvalde, no estado norte-americano do Texas. O atirador, Salvador Ramos, com apenas 18 anos, foi o autor deste massacre e acabou por ser abatido pela polícia, no local. Mas imagens de videovigilância divulgadas esta terça-feira mostram que os agentes esperaram mais de uma hora, nos corredores da escola primária, para atuar.

O vídeo foi publicado pelo jornal texano “Austin American-Statesman” e mostra, ao longo de 82 minutos, o impasse dos polícias, enquanto o atirador disparava no interior de duas salas de aula. Os agentes estavam fortemente armados: tinham coletes à prova de bala e alguns também escudos à prova de bala, além de estarem munidos com pistolas e espingardas; no entanto, ficaram no corredor 77 minutos à espera, até agirem e impedirem os assassinatos.

As imagens de videovigilância, que até agora não eram públicas, estão a revoltar as famílias das vítimas, a população do Texas e dos próprios Estados Unidos. Pedem-se agora explicações e esclarecimentos às autoridades sobre a inação dos agentes neste ataque a uma escola que foi o mais mortífero da última década. Também estão a ser exigidas consequências e sanções para os polícias, e mais informações públicas sobre a investigação.

Jesus Rizo, o tio de uma criança de nove anos que faleceu no ataque, lamentou que os agentes que recebem dólares dos contribuintes para protegerem as pessoas tenham “ficado ali parados” enquanto as crianças estavam em perigo. “Podiam ter salvo algumas vidas. Podiam ter segurado a mão de alguém enquanto morria”, acrescentou, citado pela agência de notícias Associated Press.

Atirador é abatido ao fim de 77 minutos

De acordo com o vídeo, os polícias entraram na Escola Primária Robb apenas três minutos depois do atirador. Alguns agentes começaram a dirigir-se para a sala de aula onde se encontrava Salvador Ramos, mas acabaram por voltar para trás após ouvirem tiros. Ao fim de 19 minutos chegam mais agentes, alguns deles com escudos à prova de bala.

Continua sem haver qualquer tentativa de resgate ao fim de meia hora. E decorrida quase uma hora, Salvador Ramos dispara mais quatro tiros. Neste momento há dezenas de polícias no corredor, mostram as imagens. Finalmente, ao fim 77 minutos desde o início do ataque, os polícias entram na sala de aula e matam o atirador. No total, as autoridades dizem que o jovem de 18 anos disparou mais de 100 vezes.

O vídeo completo, disponibilizado pelo “Austin American-Statesman”, pode ser visto aqui:

O massacre a esta escola primária do Texas relançou a discussão sobre o controlo de venda de armas nos Estados Unidos. Só este ano os EUA já registaram mais de 200 ataques em massa com armas de fogo (ataques em que pelo menos quatro pessoas foram atingidas ou mortas, não incluindo o atacante, segundo critérios da organização Gun Violence Archive).