Blitz

Setembro louco: os grandes concertos que vamos ver em Portugal até ao final do mês

Arcade Fire e António Zambujo (em cima), Jorge Palma e Sigur Rós (em baixo)

rita carmo (antónio zambujo)

Arcade Fire (vezes dois) e Sigur Rós, Jorge Palma de volta dos seus álbuns clássicos, António Zambujo prestando homenagem a um dos seus heróis, e ainda quatro festivais urbanos. Até ao fim do mês, todos os caminhos vão dar às salas de espetáculos

20 setembro 2022 10:48

Com o final dos festivais de verão, regressam os concertos em sala fechada. Oferecemos-lhe um resumo de espetáculos marcados até ao final deste mês.

PATRICE: Capitólio, Lisboa, 22 de setembro
O músico alemão, com raízes na Serra Leoa, regressa a Portugal para apresentar o mais recente álbum, “Life's Blood”, de 2016, e muitas canções de uma carreira encetada há 22 anos, com o disco “Ancient Spirit”. Um concerto intimista, é o que promete Patrice Bart-Williams, um artista tão influenciado por Bob Marley como por Bob Dylan. Começa às 22h e os bilhetes custam 29 euros.

FESTIVAL IMINENTE: Matinha, Lisboa, de 22 a 25 de setembro
Além das artes visuais, o Festival Iminente apresenta uma programação musical forte. No primeiro dia, 22 de setembro, atuam os portugueses Profjam, Maria Reis e Landim, bem como Real Guns (São Tomé e Príncipe), MC Dricka (Brasil) ou Pharoache Monch (Estados Unidos/Jamaica). A 23, há concertos Carla Prata (Angola/Portugal), Né Jah (Portugal/Cabo Verde), Éllàh (Cabo Verde), Yazuka (Portugal) ou Goldie (Reino Unido). Sam the Kid com orquestra e Orelha Negra, Puta da Silva (Brasil) e Tristany (Portugal) são os destaques de dia 24. O Iminente chega ao fim a 25, com África Negra (São Tomé e Príncipe), Nayela (Bruxelas), Karol Conká (Brasil), Batida com Bonga (Portugal/Angola) e Bandua e Sara Correia (Portugal). Há bilhetes diários a 25 euros e passes a 75 euros.

SANTA CASA ALFAMA: Lisboa, de 23 a 24 de setembro
Um espetáculo de homenagem ao cantor Max, por António Zambujo e convidados, é o grande destaque do primeiro dia do Santa Casa Alfama, festival dedicado ao fado. No mesmo dia, atuam Jorge Fernando, Joana Amendoeira ou Rogério Ferraz. No segundo dia, 24 de setembro, Dulce Pontes convida Ricardo Ribeiro e Aldina Duarte apresenta o espetáculo “As Divas”. Ana Sofia Varela e Agir são outros dos artistas confirmados neste dia. Os bilhetes diários custam 25 euros e os passes 35 euros; nos dias do festival, sobem para 30 euros e 40 euros.

ARCADE FIRE: Campo Pequeno, Lisboa, 22 e 23 de setembro
A banda canadiana, uma das mais populares do universo indie, vem apresentar o mais recente álbum “We”, editado este ano. A digressão europeia deste disco tem sido assombrada pelas acusações de conduta sexual imprópria contra Win Butler, vocalista da banda. A esse propósito, Leslie Feist, que deveria fazer a primeira parte dos espetáculos, abandonou a tournée. O concerto começa às 20h e há bilhetes entre 61 euros e 143,50 euros.

MICHAEL KIWANUKA: Pavilhão Rosa Mota, Porto, 23 de setembro, e no Campo Pequeno, Lisboa, 24 de setembro
O músico inglês regressa por fim a Portugal, depois dos adiamentos causados pela pandemia. Na mala, o autor de ‘Cold Little Heart’ traz o mais recente “Kiwanuka”, lançado em 2019 e recebido com entusiasmo por público e crítica. No Porto, há bilhetes a partir de 25 euros e em Lisboa a partir de 27 euros. Os concertos começam às 21h30.

FESTIVAL MIMO: Centro histórico do Porto, de 23 a 25 de setembro
O festival que nasceu no Brasil e, em Portugal, encontrou casa em Amarante muda-se agora para o centro histórico do Porto. Chico César, Asa e Gileno Santana, a 23 de setembro; Branko, Orquestra Voadora e Ray Lema, a 24, e Emicida, Don Letts e Maria João e Mário Laginha a 25 são alguns dos destaques. A entrada é livre.

JORGE PALMA: Jardins do Palácio Baldaya, Benfica, Lisboa, 25 de setembro
O músico português apresenta-se em Benfica para o arranque da série “Antologia”, em que recordará álbuns específicos em vários concertos. Nos jardins do Palácio Baldaya, terá como ponto de partida o disco “Só” (1991). A viagem continuará, em outubro, com quatro datas no Tivoli, também em Lisboa.

ANGEL OLSEN: Capitólio, 26 e 27 de setembro
Angel Olsen regressa ao Capitólio, em Lisboa, depois de lá atuar no dia do seu aniversário, em 2020. Desta vez, a cantora-compositora norte-americana traz “Big Time”, o álbum aclamado lançado este ano, marcado pelas sonoridades country-soul. Tal como em 2020, dará nesta sala dois concertos, em dias consecutivos. Ambos começam às 21h30, com bilhetes a 28 euros.

EMICIDA: Teatro Tivoli, Lisboa, 27 de setembro - dois concertos no mesmo dia
O rapper brasileiro traz a Lisboa o álbum “Amarelo”, que deu origem a um filme da Netflix e com o qual pretende combater “a onda de ódio e polarização que inundam não só o Brasil, mas o mundo”. Emicida dará dois concertos na mesma sala, no mesmo dia: um às 19h e outro às 22h. Os bilhetes custam entre 18 euros e 30 euros.

SIGUR RÓS: Campo Pequeno, Lisboa, 28 de setembro
A banda islandesa regressa a Portugal pela primeira vez desde 2016, ano em que atuou no Primavera Sound, no Porto. Consigo, Jónsi e companhoa trazem o álbum “Kveikur”, já de 2013. Esta será a primeira data da primeira digressão dos Sigur Rós em cinco anos. O concerto começa às 21h e há bilhetes entre 29 euros e 42 euros.

FESTIVAL PARA GENTE SENTADA: Theatro Circo, Braga, 30 de setembro e 1 de outubro
Este ano, o Festival para Gente Sentada apresenta, no primeiro dia, concertos de Helado Negro, Caio e Ghostly Kisses e, no segundo, de Valter Lobo, Villagers e Sean Riley com Legendary Tigerman. A música começa, nos dois dias, às 22h e os bilhetes custam 20 euros (um dia) e 35 euros (dois dias).