Exclusivo

Sociedade

Câmara de Almada tem de retirar betume da estrada da Fonte da Telha e incorre em coima até €5 milhões

Asfaltamento dos acessos à praia da Fonte da Telha espalham material betuminoso sobre a duna
Asfaltamento dos acessos à praia da Fonte da Telha espalham material betuminoso sobre a duna
DR

Autoridades do ambiente e do ordenamento do território chumbaram a obra de pavimentação da estrada da Fonte da Telha e querem situação regularizada quando for executado o plano de requalificação para aquela área. Entretanto está a decorrer um processo de contraordenação ambiental contra a Câmara de Almada, cuja coima pode chegar a €5 milhões, se a violação dos planos municipais for considerada muito grave e dolosa

Ainda não se sabe quando é que a Câmara Municipal de Almada vai corrigir a obra de “melhoria” dos acessos à praia da Fonte da Telha, mas a obrigação de que terá de fazê-lo é clara, quando avançar com a projetada "requalificação do troço em causa". Assim ditam os pareceres emitidos pela Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR LVT) e pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA). As duas entidades chumbaram a obra de pavimentação com material betuminoso, por esta afetar uma área de Reserva Ecológica Nacional e violar vários planos de ordenamento, entre os quais o da orla costeira e o Plano Diretor Municipal (PDM) de Almada.

Artigo Exclusivo para assinantes

Assine já por apenas 1,63€ por semana.

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: ctomas@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas