Sociedade

Reações à morte de Bento XVI: de "grande teólogo" de "fé inabalável" a "grande intelectualidade"

31 dezembro 2022 12:13

Carla Tomás

Carla Tomás

Jornalista

Pedro Lima

Pedro Lima

Editor-adjunto de Economia

Presidindo à tradicional oração ‘urbi et orbi’, à varanda da Basílica de São Pedro, no Vaticano, no dia de Natal de 2009

getty images

Lideres políticos e religiosos mundiais reagem à morte do Papa emérito, Bento XVI

31 dezembro 2022 12:13

Carla Tomás

Carla Tomás

Jornalista

Pedro Lima

Pedro Lima

Editor-adjunto de Economia

São muitas as reações à morte de Bento XVI. O Papa emérito morreu este sábado de manhã. O funeral realiza-se na quinta-feira, na Praça de São Pedro, no Vaticano, numa celebração que será presidida pelo Papa Francisco, anunciou a Santa Sé.

Líderes políticos e religiosos de todo o mundo lamentam a morte de Bento XVI e recordam as suas características.

"Os seus poderosos apelos à solidariedade com as pessoas marginalizadas em todo o lado e as suas exortações para reduzir o fosso crescente entre ricos e pobres são mais relevantes do que nunca"António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas

"Será sempre relembrado como um teólogo de renome com uma vida de devoção à igreja, guiado pelos seus princípios e pela sua fé", refere Joe Biden num comunicado divulgado no portal da Casa Branca.

“Quero exprimir os meus votos de pesar a toda a comunidade católica pelo falecimento do Papa emérito Bento XVI. Recordo a honra de o ter acolhido em Lisboa, quando era presidente da Câmara, e a bela celebração a que presidiu no renovado Terreiro do Paço. O seu trabalho e dedicação permanecerão um referencial para os fiéis em todo o mundo” - António Costa, primeiro-ministro

“Distinguiu-se pela sábia preparação teológica, pela coragem como enfrentou momentos difíceis da Igreja Católica e pelo desprendimento e generosidade com que resignou ao Papado” - Luís Montenegro, líder do PSD

“A morte de Bento XVI mergulha em luto profundo a Igreja Católica e os seus fiéis. Homenageio a sua memória, destacando a estatura intelectual e o gesto fundacional da resignação. A morte do papa Bento XVI entristece-me. Bento XVI havia dado um sinal forte com sua renúncia, vendo-se primeiro como um servo de Deus e da sua Igreja. Uma vez que sua força física diminuiu, ele continuou a servir por meio do poder das suas orações” - Ursula Von der Leyen, presidente da Comissão Europeia

"Exprimo as minhas sinceras condolências ao papa Francisco, à hierarquia e a todos os fiéis da Igreja Católica pelo mundo, pela morte do papa Bento XVI", afirmou Volodymir Zelensky, numa publicação na sua conta oficial da rede social Twitter. O Presidente ucraniano referiu-se ainda a Joseph Ratzinger como um "eminente teólogo, um intelectual e um promotor dos valores universais".

“Bento XVI foi uma eminente figura religiosa e estatal, um defensor convicto dos valores cristãos tradicionais. Sempre terei boas lembranças dele” – Vladimir Putín, presidente da Rússia

“Um grande teólogo dedicado ao serviço aos outros, à justiça e à paz” - Pedro Sánchez, primeiro-ministro de Espanha

“O mundo perdeu um dos maiores teólogos dos séculos XX e XXI, um colaborador próximo de São João Paulo II” - Andrzej Duda, presidente da Polónia

“Neste momento de tristeza para tantos milhões de fiéis pelo Mundo inteiro, a que a minha mulher e eu nos juntamos, faço votos de que a grande sabedoria, a humildade esclarecida e a serenidade do Papa Bento XVI nos inspirem nestes tempos de grande incerteza e sofrimento para tantos milhões de cidadãos” - Aníbal Cavaco Silva, antigo Presidente da República

“Fica para sempre na história da Igreja pela receção e aplicação das orientações do Concílio Vaticano II, consolidando, no seguimento de São Paulo VI e São João Paulo II, aspetos fundamentais do percurso da vida da Igreja com a sua solidez teológica aliada à dimensão pastoral evangelizadora” – Conferência Episcopal Portuguesa

“Este é o momento para uma ação de graças [pela vida de Bento XVI] pelo que ela significou, pelo seu pontificado e pela sua enorme clareza do ponto de vista doutrinal, que não foi de modo algum de fechamento, mas de grande abertura à atualidade, das pessoas com quem dialogou, dentro e fora da Igreja e na maneira como ele conseguiu expressar as verdades da (...) fé, numa linguagem coerente, clara e atual. Bento XVI foi uma figura gigantesca, do ponto de vista teológico, filosófico, pastoral e pontifical. Muito ligado a Portugal, onde veio, teve ocasião de visitar Fátima, com os pastorinhos, com a explicação da terceira parte do segredo de Fátima, que tantas dúvidas levantava e que afinal liga a mensagem e Fátima e o que os pastorinhos viveram à vida e ao drama da Igreja e do mundo, neste século e no século passado” - D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa

O Papa Bento XVI deixa-nos um legado que nos desafia a alargar a racionalidade, isto é, à harmonia da fé e da razão na construção de um mundo melhor: As palavras de Jesus nunca cessam de ser maiores do que a nossa razão; superam, sempre de novo, a nossa inteligência. Crer significa submeter-se a esta grandeza e crescer pouco a pouco rumo a ela” - José Cordeiro, arcebispo de Braga

"Em tempos de afirmação de fortes relativismos e de grandes vazios, deu à Igreja escritos claros e baseados em argumentação profunda, que continuarão a iluminar os caminhos da Igreja na fidelidade à sua identidade querida por Cristo, o seu fundador", bispo de Coimbra, Virgílio Antunes

"Estamos de luto pela morte deste nosso irmão e pastor, mas, ao mesmo tempo damos graças a Deus pelo dom que ele foi para todos nós e para toda a Igreja, durante o seu serviço como teólogo eminente e iluminador", bispo de Leiria-Fátima, José Ornelas Carvalho

“A inquestionável autoridade de Bento XVI como eminente teólogo permitiu-lhe dar uma contribuição significativa para o desenvolvimento da cooperação intercristã, para o testemunho de Cristo diante de um mundo secularizado e para a defesa dos valorepatriarca da Igreja Ortodoxa russas morais tradicionais” - Cirílio (Kirill), patriarca da Igreja Ortodoxa russa

"Homenageio a sua memória, destacando a estatura intelectual e o gesto fundacional da resignação" - Augusto Santos Silva, presidente da Assembleia da República de Portugal

“Bento XVI trabalhou com alma e inteligência por um mundo mais fraterno. O meu pensamento está com os católicos da França e do mundo, enlutados” - Emmanuel Macron, Presidente francês

“Estou triste por saber da morte do papa emérito Bento XVI. Foi um grande teólogo. Os meus pensamentos estão com o povo católico do Reino Unido e do mundo” - Rishi Sunak, primeiro-ministro britânico

“O Papa Bento XVI era um teólogo inteligente, com uma personalidade controversa. Para muitos, não apenas neste país, ele foi um líder especial para a Igreja. O mundo perdeu uma figura formadora para a Igreja Católica” - Olaf Scholz, chanceler alemão

“Bento XVI era um gigante da fé e da razão. Um homem apaixonado pelo Senhor que pôs a sua vida ao serviço da Igreja Universal que falou e vai continuar a falar aos corações e mentes das pessoas que têm o espírito e a profundidade cultural e intelectual do Magistério. Um cristão, um pastor, um teólogo, um grande homem que a história não vai esquecer” - Giorgia Meloni, primera-ministra italiana

“Uma potência intelectual com uma fé inabalável na moralidade e na ética. Um grande defensor humanitário e dos direitos humanos. Um advogado da paz e do desarmamento nuclear. Um teólogo estimado e escritor prolífico” - Rajan Zed, presidente da Sociedade Universal do Hinduísmo

"Recordo (…) os seus esforços constantes para promover a paz e a boa vontade entre todos os povos, e para fortalecer as relações entre a comunidade anglicana mundial e a Igreja Católica Romana", Carlos III, monarca do Reino Unido

Filipe VI, rei de Espanha, expressou a "grande tristeza" provocada pela morte de Bento XVI, tendo recordado o "frutuoso legado intelectual e espiritual" deixado pelo papa emérito e que este "conduziu a Igreja Católica com uma extraordinária vocação de serviço, humildade, entrega e amor".

"Damos graças pelo seu serviço à Igreja universal, com uma entrega generosa e até ao fim da sua vida, com uma fé robusta, uma esperança incólume e a sua caridade exemplar", afirmou a Conferência Episcopal argentina, num comunicado.

A Conferência Episcopal Alemã prestou homenagem a Bento XVI sem esquecer "questões que permanecem em aberto", referindo-se à forma como lidou com os casos de abusos sexuais quando era arcebispo de Munique. "Pediu desculpa às pessoas afetadas, mas há questões que permanecem em aberto", afirmou o presidente da Conferência Episcopal Alemã, numa carta citada pela agência de notícias espanhola EFE.