Sociedade

Pobreza: hospitais acolhem pessoas que se fingem doentes para comer nas urgências. Alguns pedem “para ficar internados”

13 outubro 2022 23:24

ana baião

População simula doenças em hospitais. À fome junta-se a solidão: “Há quem peça para ficar internado”

13 outubro 2022 23:24

Não são muitos, mas a sua presença não passa despercebida: são utentes que vão às urgências para receber comida, e não tratamento. A procura de refeição gratuita nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) não é nova nem mesmo expressiva, mas é regular, e os profissionais estão atentos, pois a crise económica que se avizinha prenuncia um agravamento deste fenómeno.

Relatos de equipas da urgência em diferentes pontos do país permitem traçar um perfil da procura social nos serviços hospitalares, apenas com a região Norte aparentemente menos exposta. Na generalidade, os utentes que vão ao hospital para comer não são propriamente idosos, na triagem fazem queixas gerais e sem gravidade e tendem a permanecer em observação até à distribuição de comida, seja almoço ou jantar. Algumas unidades têm já pessoas sinalizadas, dada a regularidade da comparência e do comportamento.