Sociedade

Incêndios: mais de 800 bombeiros e 10 fogos ativos às 0h30, combate em Vila Real evolui favoravelmente

24 agosto 2022 8:05

pedro sarmento costa/lusa

Na serra do Alvão, Vila Real, a frente de Lamas de Olo está dominada e numa outra que se desenvolveu entre Relva, Outeiro e Cravelas o combate está a evoluir favoravelmente, segundo a Proteção Civil

24 agosto 2022 8:05

Mais de 800 operacionais combatiam hoje 10 fogos ativos às 00:30 em Portugal continental, continuando a ser o da zona da Samardã, Vila Real, o que está a mobilizar mais bombeiros, segundo o ‘site’ da Proteção Civil.

Os 11 fogos em curso estavam a ser combatidos por 809 operacionais e 225 meios terrestres.

De acordo com Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), às 00:30, estavam em resolução sete incêndios rurais, com 231 operacionais, apoiados por 65 viaturas.

Na Samardã estavam 415 operacionais, apoiados por 117 veículos.

O incêndio que deflagrou domingo na Samardã sofreu duas “reativações fortes” na tarde de terça-feira.

As reativações ocorreram nas zonas de Relva, zona da serra do Alvão, e de Fortunho, em dois locais completamente opostos.

Pelas 00:00, na serra do Alvão, Vila Real, a frente de Lamas de Olo foi dada como dominada e numa outra que se desenvolveu entre Relva, Outeiro e Cravelas o combate estava a evoluir favoravelmente, segundo a Proteção Civil.

Depois de o incêndio que deflagrou domingo na Samardã, na serra do Alvão, ter entrado em resolução na segunda-feira à noite, na manhã terça-feira uma nova ignição lavrou com intensidade, tendo-se aproximado da aldeia de Lamas de Olo, no Parque Natural do Alvão.

Além do incêndio que continua a lavra em Vila Real, a Proteção Civil considerou também “como importantes” os fogos de Guimarães (Braga), Penafiel (Porto) e Vila Verde (Braga).

Na zona de Sabugosa, em Guimarães, às 00:30, encontravam-se 87 bombeiros, apoiados por 29 viaturas. Também no distrito de Braga, em Vila Verde, o incêndio que lavra na localidade de Gomide mobilizava 80 operacionais e 27 meios terrestres.

Já em Penafiel, na zona de Capela, estavam 85 operacionais, apoiados por 25 veículos, a combater as chamas.

Às 00:30, estavam em conclusão 33 incêndios, envolvendo 808 operacionais e 262 meios terrestres.

A área ardida em Portugal devido aos incêndios deste ano já ultrapassou os 100 mil hectares, segundo dados do Instituto da Conservação da Natureza e da Floresta (ICNF) hoje divulgados.

Os dados provisórios até hoje, obtidos com base no Sistema de Gestão de Informação de Incêndios Florestais (SGIF), registam que arderam 103.332 hectares, 51% de povoamentos florestais, 39% de matos e 10% de área de agricultura.