Sociedade

Rui Moreira e a chegada de milhares de adeptos ingleses: “Corremos alguns riscos, não os ignoramos. Mas não queremos ter turistas? Queremos”

26 maio 2021 13:46

luís barra

O presidente da Câmara Municipal do Porto espera um “comportamento adequado” por parte dos milhares de adeptos ingleses que chegam à Invicta para assistir à final da Liga dos Campeões, disputada este sábado no Estádio do Dragão

26 maio 2021 13:46

Milhares de adeptos ingleses, apoiantes do Manchester City e do Chelsea, chegam por estes dias no Porto, cidade que recebe no sábado a final da Liga dos Campeões, disputada no Estádio do Dragão. O Governo tem um plano: criar uma “bolha de segurança” para os 12 mil britânicos que estão prestes a chegar, com o objetivo de que não fiquem em território nacional por mais de 24 horas e circulem apenas o necessário, entre o aeroporto e o estádio. Há, no entanto, dois problemas para resolver: por um lado, foram colocados mais 1700 bilhetes à venda e, por outro, há adeptos que vão voar para a Invicta antes de sábado, ávidos por fazer turismo.

“Nós sabemos que corremos alguns riscos, não ignoramos”, admite Rui Moreira. “Mas não queremos ter turistas no verão? Queremos”, atira o presidente da Câmara Municipal do Porto, chutando as questões da segurança para a Federação Portuguesa de Futebol, para a UEFA e para o Governo. “A CMP não é organizadora nem co-organizadora do evento”, frisa o autarca, em declarações à comunicação social.

Fan zones nos Aliados e na Alfândega

“Aquilo que nos pediram foi para disponibilizarmos dois espaços [fan zones] e isso nós fizemos”, explica Rui Moreira, detalhando que um dos pontos fica na Avenida dos Aliados e o outro na Alfândega.

“Acreditamos que o Governo e as autoridades competentes, quer na área da saúde quer na área da segurança dos cidadãos, irão funcionar”, considera o presidente da CMP. “Se eles [os adeptos] tiverem um comportamento adequado, também é bom para a nossa economia”, defende o edil, para quem “não podemos querer turistas e não os ter”.

Nas palavras de Rui Moreira, “a cidade deve ficar contente” com a chegada dos milhares de adeptos ingleses, “desde que a polícia desempenhe as suas tarefas”.

Caso alguma coisa corra mal, Rui Moreira aponta para as autoridades competentes: “A pergunta terá de ser feita à PSP e ao Ministério da Administração Interna”, ou até mesmo à DGS que, segundo o autarca, “às vezes mais parece a direção-geral da segurança”.