Televisão

Emmys entregues “numa semana em grande para as sucessões”. Houve emoção e muitas surpresas na grande noite da televisão

13 setembro 2022 7:09

kevin winter

A 74.ª cerimónia de entrega dos prémios pela Academia de Televisão decorreu no Microsoft Theater, em Los Angeles, esta madrugada. “Succession” recebeu o prémio mais desejado, mas perde em número de galardões. Acaba ultrapassada por “Squid Game”, num ano em que “The White Lotus” mostra a sua força. Vence em 10 categorias

13 setembro 2022 7:09

A 74ª edição dos prémios Emmy, entregues esta madrugada no Microsoft Theater de Los Angeles, distinguiu a terceira temporada de “Succession” da HBO como melhor série dramática, numa noite em que “The White Lotus” e “Ted Lasso” dominaram com múltiplas vitórias nas suas categorias. A gala teve transmissão em direto na SIC Caras.

“Estamos incrivelmente gratos por ter esta honra maravilhosa”, disse Jesse Armstrong, criador de “Succession”, que também levou para casa a estatueta de melhor escrita para série dramática pelo seu trabalho. No discurso de vitória, o argumentista britânico fez uma menção à ascensão ao trono do rei Carlos III, no Reino Unido, dizendo que “esta foi uma semana em grande para as sucessões”.

“Succession” tinha 25 nomeações e venceu várias categorias. Protagonizada por Brian Cox, Jeremy Strong, Sarah Snook e Kieran Culkin, a história centrada em torno de um conglomerado familiar com enorme poder nos 'media' também rendeu a Matthew Macfadyen o Emmy de melhor ator secundário em série dramática. O ator bateu nomeados como Christopher Walken, Billy Crudup e John Turturro.

NOVA GERAÇÃO MULTICULTURAL

Ainda nos dramas, Julia Garner foi a melhor atriz secundária por “Ozark” (Netflix) e Zendaya venceu o Emmy de melhor atriz por “Euphoria” (HBO). Os coreanos Lee Jung-jae foi o melhor ator e Hwang Dong-hyuk o melhor realizador em drama, ambos pela série “Squid Game” (Netflix).

Na categoria de melhor minissérie, antologia ou filme para televisão, “The White Lotus” também da HBO, venceu cinco estatuetas. Foi considerada a melhor minissérie do ano, recebeu as distinções na escrita e na realização, ambas entregues ao criador Mike White, e ainda deu a Jennifer Coolidge e a Murray Barlett os Emmys de melhor atriz secundária e ator secundário nesta categoria, respetivamente.

HISTÓRIAS REAIS, REPRESENTAÇÕES DE EXCELÊNCIA

Mas nos principais prémios de representação em minissérie, antologia ou filme para televisão as estatuetas foram entregues a Michael Keaton por “Dopesick” e Amanda Seyfried por “The Dropout: A História de uma Fraude”. Ambas são séries da Hulu, disponíveis na Disney+, que retratam histórias verdadeiras.

Keaton estava visivelmente emocionado ao receber o Emmy. “Este é um dos projetos mais especiais em que já trabalhei”, afirmou. “Significa muito”.

Já Amanda Seyfried, que encarnou a ex-empresária Elizabeth Holmes em “The Dropout”, disse que receber o prémio foi um sentimento muito bom. “Foi o melhor momento da minha vida”, afirmou, sobre a gravação da minissérie.

LUGAR À COMÉDIA

Na comédia, “Ted Lasso” da Apple TV+ arrecadou as principais distinções. Foi considerada a melhor série de comédia do ano e deu o Emmy de melhor ator numa comédia a Jason Sudeikis, que se afirmou “surpreendido e lisonjeado”.Também levou Brett Goldstein a receber o Emmy de melhor ator secundário numa comédia e rendeu a MJ Delaney a estatueta de melhor realização para comédia.

Nas restantes categorias de comédia, Jean Smart foi a melhor atriz por “Hacks” (HBO) e Sheryl Lee Ralph a melhor atriz secundária por “Abbott Elementary” (ABC). Esta série, sobre uma das piores escolas primárias do país, também levou a criadora Quinta Brunson a receber o Emmy por melhor escrita para comédia. Ralph protagonizou um dos discursos de aceitação mais emotivos da noite, que começou a cantar.

“Para qualquer pessoa que teve um sonho e achou que esse sonho não podia e não ia realizar-se, estou aqui para vos dizer que isto é o que dá acreditar, o que dá esforçar-se”, afirmou. “Nunca desistam de vocês.”