Política

Miguel Alves acusado de prevaricação pelo MP do Porto

10 novembro 2022 17:17

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

O secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, Luís Miguel da Silva Alves, durante a cerimónia de tomada de posse, que decorreu no Palácio de Belém, em Lisboa, em setembro de 2022

antónio cotrim

Secretário de Estado adjunto de António Costa envolvido em polémica é alvo de duas investigações do Ministério Público

10 novembro 2022 17:17

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Miguel Alves, o secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro António Costa, foi acusado de prevaricação pelo Ministério Público no âmbito de uma denúncia anónima.

Miguel Alves está a ser alvo de duas investigações. Há duas semanas, o “Público” avançou que o governante adiantou um empréstimo de 300 mil euros para um projeto ainda não concretizado quando era presidente da Câmara de Caminha (Viana do Castelo).

Em causa está a construção de um Centro de Exposições Transfronteiriço naquela localidade, uma obra que ainda não começou depois do contrato-promessa entre o promotor e a autarquia ter sido assinado em 2020.

O “Público” referia que o pagamento foi feito pela autarquia em março de 2021 a uma empresa desconhecida e associada ao empresário Ricardo Moutinho, um investidor com um alegado currículo falsificado.

Há uma semana, o Expresso revelou que a empresa em questão, a Green Endogenous, S. A., faz parte de um grupo de investimento que foi “criado na hora”.

Em entrevista ao Jornal de Notícias e à TSF, Miguel Alves, o ex-autarca mostrou-se seguro da legalidade do processo e explicou o porquê de não se ter pronunciado publicamente sobre esta polémica antes.

São várias as vozes no interior do PS a considerar insustentável a continuação no Governo de Miguel Alves.