Isabel II

Símbolos e política externa: a visita da Rainha Isabel II a Portugal em 1957

19 setembro 2022 7:00

Armando Marques Guedes

Professor Catedrático Jubilado da NOVA School of Law/Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa

joseph mckeown

In Memoriam e com o maior respeito e saudade[1] . Neste artigo, Armando Marques Guedes, professor catedrático jubilado da NOVA School of Law, recorda a célebre visita de Isabel II, cujo funeral decorre esta segunda-feira em Londres. O programa que a monarca cumpriu em Portugal não teve apenas um caráter cerimonial, mas também político: à época, Lisboa procurava defender as colónias e reforçava laços com a Europa, pelo que qualquer gesto da parte do velho aliado tinha relevo internacional. A monarca vincou o que unia os dois países: a NATO, o vínculo transatlântico e uma “herança cultural comum” e pertença ao “mundo civilizado”

19 setembro 2022 7:00

Armando Marques Guedes

Professor Catedrático Jubilado da NOVA School of Law/Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa

Não será exagerado asseverar que a vinda da Rainha Isabel II a Portugal em 1957 teve essencialmente dois objetivos: um maior, político, e um outro protocolar e menor, o de cimentar a Aliança Inglesa, de algum modo posta à prova durante a 2.ª Guerra Mundial, retribuindo a visita do Marechal Francisco Higino Craveiro Lopes ao Reino Unido pouco mais de um ano antes, em Outubro de 1955. A visita estava agendada e preparada havia já muito tempo.