Lourenço Pereira Coutinho

Lourenço Pereira Coutinho

Historiador

  • O “politicamente correto” potencia o populismo

    Lourenço Pereira Coutinho

    O “politicamente correto” potencia o populismo

    29.09.2022 às 10h07

    Lourenço Pereira Coutinho

    O populismo alimenta-se das crises e, também, da ausência de respostas corajosas para as superar. Por receio de erosão eleitoral, os partidos e políticos “tradicionais” optam por discursos politicamente corretos que apenas contribuem para potenciar aquele fenómeno. É um círculo vicioso difícil de quebrar

  • Guerra na Ucrânia: é imperioso parar esta loucura

    Lourenço Pereira Coutinho

    Guerra na Ucrânia: é imperioso parar esta loucura

    22.09.2022 às 10h57

    Lourenço Pereira Coutinho

    Não interessa agora identificar a loucura mas sim pará-la. Como se comprova, Putin nunca admitiria estar em guerra com Zelensky, a quem considera apenas como rebelde. A sua guerra, a acontecer, seria sempre contra o Ocidente. As conversações poderão ter mediadores, como a Santa Sé ou a Turquia, mas dificilmente outros verdadeiros negociadores que não as superpotências

  • Sistema britânico: pode ser “excêntrico, arcaico e inusual”, mas certo é que funciona

    Lourenço Pereira Coutinho

    Sistema britânico: pode ser “excêntrico, arcaico e inusual”, mas certo é que funciona

    15.09.2022 às 11h22

    Lourenço Pereira Coutinho

    A monarquia (...) é ali uma instituição metapolítica que, na atualidade, emite e atrai as emoções dos cidadãos de forma serena e inofensiva, bem longe dos perigos de manipulação emocional que o populismo representa noutros estados e sociedades. Ou seja, é uma instituição com forte carga emocional que, pelos seus efeitos, encontra justificações racionais para persistir

  • Entre o populismo, a contrarrevolução e o extremismo: o Chega nunca poderá representar a direita democrática

    Lourenço Pereira Coutinho

    Entre o populismo, a contrarrevolução e o extremismo: o Chega nunca poderá representar a direita democrática

    08.09.2022 às 10h55

    Lourenço Pereira Coutinho

    É assustador que, entre os partidos com assento parlamentar, apenas o Chega, populista e demagógico, se assuma como sendo claramente de direita (...) Que alternativas a este cenário? Reforçar um grande partido que cubra um amplo espectro, da esquerda moderada à direita democrática? Ou incentivar a refundação de uma força de direita, com princípios sólidos mas não dogmática ou demagógica e vocacionado para coligações, como em tempos foi o CDS?

  • A derrota de Bolsonaro será a vitória da democracia civilista

    Lourenço Pereira Coutinho

    A derrota de Bolsonaro será a vitória da democracia civilista

    01.09.2022 às 10h31

    Lourenço Pereira Coutinho

    O ataque de Bolsonaro à democracia civilista assenta pois em três pilares: apelo mais ou menos discreto à intervenção dos militares na vida política; apoio à interferência das igrejas evangélicas no processo de decisão politica; enfase nas suspeitas sobre a regularidade do processo eleitoral. A estes, junte-se uma prática populista que extrema o debate político

  • O que vale um coração?

    Lourenço Pereira Coutinho

    O que vale um coração?

    28.08.2022 às 12h14

    Lourenço Pereira Coutinho

    A veneração deste género de “relíquias”, se bem que possa servir objetivos de candidatos a “caudilhos”, pouco acrescenta à evocação e à reflexão sobre o passado

  • Incêndios e despovoamento: impressões de um país abandonado

    Lourenço Pereira Coutinho

    Incêndios e despovoamento: impressões de um país abandonado

    25.08.2022 às 9h56

    Lourenço Pereira Coutinho

    Todos sentimos a tragédia de um país que arde verão após verão. Não basta o Governo anunciar medidas de prevenção e a compra de mais meios, é preciso fixar populações, investir na agricultura e na pastorícia, pois os animais, cabras e outros, são indispensáveis para a limpeza dos terrenos. (...) É altura de começar a olhar a sério para todo um país que vive fora dos grandes centros urbanos, um país cheio de potencial mas que continua abandonado

  • A História e a linguagem inclusiva não são exclusivas do “ativismo”

    Lourenço Pereira Coutinho

    A História e a linguagem inclusiva não são exclusivas do “ativismo”

    28.07.2022 às 11h30

    Lourenço Pereira Coutinho

    É inaceitável pretender que a verdade sobre certos temas e a possibilidade de os abordar seja exclusiva de uns poucos. (...) Não me parece que a História tenha de ser “reconstruída” mas, antes, que deva dar espaço à diversidade de perspetivas sobre os factos. A sua interpretação deve ter em conta o contexto e estar despedida de motivações ideológicas. Sobretudo, e reconhecendo os aspetos positivos e negativos, não olho para a História de Portugal como um todo vergonhoso

  • Papa Francisco, um corajoso defensor da paz

    Lourenço Pereira Coutinho

    Papa Francisco, um corajoso defensor da paz

    14.07.2022 às 10h06

    Lourenço Pereira Coutinho

    No campo de batalha, como no diplomático, a guerra que resultou da invasão russa está sem fim à vista. Conseguiria a lógica altruísta de Francisco desarmar Putin, sentá-lo com Zelensky à mesa das negociações e fazer prevalecer a sensatez e o humanismo?