Internacional

Boris Johnson entusiasmado, Jean-Claude Juncker “contente pelo acordo, mas triste pelo Brexit”

17 outubro 2019 14:10

Um aperto de mãos entre Boris Johnson e Jean-Claude Juncker durante a conferência de imprensa, após o alcance de um acordo para o Brexit

francois lenoir

O primeiro-ministro britânico disse que o acordo vai permitir “um verdadeiro Brexit”. Juncker avisa que ainda falta aprovação dos deputados em Westminster, bem como do Parlamento Europeu

17 outubro 2019 14:10

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, falaram aos jornalistas em Bruxelas, em curtas declarações após a confirmação do acordo para a saída do Reino Unido da União Europeia. Johnson congratulou-se pelo esforço feito pelos parceiros, mas sobretudo por um resultado que vai permitir chegar “a um verdadeiro Brexit, que permite alcançar” os seus objetivos.

O líder do partido conservador britânico disse que o acordo é bom para as duas partes, Reino Unido e União Europeia, e que dá poder aos britânicos. “O acordo significa que o Reino Unido sai inteiro no dia 31 de outubro e significa que a Irlanda do Norte e todas as partes do Reino Unido podem participar não apenas em acordos de livre comércio, exportando os nossos produtos para todo o mundo, mas também significa que podemos tomar juntos, como um único Reino Unido, decisões sobre o nosso futuro, as nossas leis, as nossas fronteiras, o nosso dinheiro”, afirmou Johnson, antes de agradecer a Juncker e a Michel Barnier, que liderou a equipa negocial europeia.

Por seu lado, o presidente da Comissão voltou a distinguir entre acordo e saída. “Tenho que dizer que estou feliz pelo acordo, mas triste pelo Brexit”, atirou Jean-Claude Juncker. Afirmando-o “justo” e “equilibrado”, o responsável luxemburguês garantiu ainda que o acordo torna desnecessária nova extensão do prazo para a saída, mas deixou um alerta. “Não é apenas Westminster, também o Parlamento Europeu tem de o aprovar.”