Exclusivo

Sistema financeiro

Tribunal põe em dúvida estatuto de "denunciante" promovido pela Autoridade da Concorrência

Margarida Matos Rosa, da AdC
Margarida Matos Rosa, da AdC
TIAGO PETINGA/LUSA

Programa de clemência gera dúvidas ao Tribunal da Concorrência na sentença que fez cair a parte do cartel dos seguros que foi a julgamento. AdC, no mandato de Margarida Matos Rosa, alcançou recorde de pedidos

A Autoridade da Concorrência (AdC) tem vindo a incentivar o recurso ao regime de clemência, uma das poucas formas que considera credíveis para detetar acordos secretos e ilegais entre empresas. Foi esse regime que levou à descoberta da troca de informações sobre créditos entre os grandes bancos portugueses, foi com ele que a AdC detetou um cartel de seguros, e foi ele que conduziu à investigação das operadoras de comunicações. Trata-se de denúncias de participação em acordos que permitem um perdão da coima que seria aplicável, como recompensa pelo arrependimento e pela partilha de informação com a AdC.

Artigo Exclusivo para assinantes

Assine já por apenas 1,63€ por semana.

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: dcavaleiro@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas