Economia

Pagamentos do PRR quase triplicam em 2022 e devem triplicar em 2023

4 janeiro 2023 16:54

Fernando Alfaiate é o presidente da Estrutura de Missão Recuperar Portugal

Beneficiários da ‘bazuca’ europeia receberam 362 milhões de euros em 2021 e 1048 milhões de euros em 2022. Na entrevista dada ao Expresso em novembro de 2022, o gestor do PRR estimou que os pagamentos do PRR triplicassem em 2023

4 janeiro 2023 16:54

Os pagamentos efetuados no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) praticamente triplicaram de 362 milhões de euros em 2021 para 1048 milhões de euros em 2022, somando um total acumulado de 1.410 milhões de euros no final do ano.

“O montante de pagamentos alcançado no final de 2022, representa um acréscimo de 190% em relação aos pagamentos efetuados em 2021”, destaca a Estrutura de Missão Recuperar Portugal, presidida por Fernando Alfaiate, criada em maio de 2021 para negociar, contratualizar e monitorizar a execução das reformas e investimentos previstos no PRR.

O anúncio dos valores é feito no mesmo dia em que o primeiro ministro e a ministra da Presidência, que tutela a área, organizaram um “roteiro PRR”, e um dia depois de fontes de Belém terem avançado ao Expresso descrença na capacidade de Mariana Vieira da Silva garantir as metas fixadas.

O PRR foi aprovado no verão de 2021, tendo o primeiro cheque da ‘bazuca’ europeia chegado a Portugal em agosto desse ano. O ano de 2022 foi, portanto, o primeiro ano de plena execução deste plano que arrancou com um envelope de 16.644 milhões de euros de subvenções e empréstimos para aplicar no país até 2026.

“A Estrutura de Missão Recuperar Portugal tinha definido o objetivo de pagar aos beneficiários diretos e finais 1.400 milhões de euros, ou seja 8,5% do montante total do PRR até dia 31 de dezembro de 2022. Através de uma articulação estreita com os beneficiários intermediários e diretos foram atingidos os 1.410 milhões de euros”, explica a entidade gestora.

“Uma meta realista, mas ambiciosa, já que numa fase prévia aos pagamentos é necessário proceder ao lançamento de avisos para a seleção dos projetos e garantir que existe uma avaliação criteriosa, alinhada com objetivos definidos no PRR”, acrescenta o comunicado.

Recorde-se que, em entrevista ao Expresso, no passado mês de novembro, o gestor do PRR, Fernando Alfaiate, traçou a ambição de triplicar os pagamentos aos beneficiários durante os próximos 12 meses: “Em 2023, estimamos que os pagamentos tripliquem”.

A Estrutura de Missão Recuperar Portugal recorda que o país recebeu até à data 3.321 milhões de euros da Comissão Europeia, tendo já sido transferido para os beneficiários intermediários e diretos o montante de 2.741 milhões de euros, o equivalente a 16% do montante total do plano.

As estatísticas surgem no mesmo dia em que António Costa se lançou num roteiro sobre o PRR, com Mariana Vieira da Silva. Ao Expresso, a ministra também avançou números para desmontar as críticas: “Cumprimos exatamente o que devíamos ter cumprido" no PRR e no Portugal 2020, afirmou.