Economia

Criptomoedas: Sam Bankman-Fried concorda com extradição para os EUA após audiência nas Baamas

20 dezembro 2022 8:30

alex wong

Depois da confusão em tribunal, em que o advogado desconhecia que a decisão de extradição estava tomada, foi anunciado à imprensa local que Sam Bankman-Fried concorda mesmo em ser enviado para os EUA

20 dezembro 2022 8:30

O fundador da falida corretora de criptomoedas FTX, Sam Bankman-Fried, concordou em ser extraditado para os Estados Unidos da América (EUA) para enfrentar acusações de fraude relacionadas com o colapso da empresa, segundo disseram os advogados, escreve o “Financial Times”.

Bankman-Fried foi preso em Nassau na semana passada e resistiu à extradição devido às acusações de fraude federal e lavagem de dinheiro. Era esperado que a decisão fosse revertida, mas o movimento foi adiado depois do seu advogado local, Jerone Roberts, ter dito que não sabia da decisão.

O acusado deixou o tribunal sem ter concordado em ser enviado para os EUA, segundo a “Reuters”. No entanto, dois dos seus advogados asseguraram mais tarde à imprensa local que Bankman-Fried concordou com a extradição voluntária e uma pessoa com conhecimento direto do assunto, não identificada pelo “Financial Times”, confirmou as intenções de Bankman-Fried.

Jerone Roberts disse à imprensa que espera que Bankman-Fried possa voltar ao tribunal ainda esta semana para formalizar a sua decisão.

As acusações alegam que Bankman-Fried orquestrou “uma das maiores fraudes financeiras da história americana”. Ele negou irregularidades.

Um tribunal nas Baamas negou a fiança de Bankman-Fried na semana passada, dizendo que havia o risco de ele tentar fugir. Bankman-Fried terá uma nova oportunidade de procurar a liberdade sob fiança nos EUA após a extradição, ainda que enfrente acusações civis de várias autoridades norte-americanas.

Se condenado, Bankman-Fried pode enfrentar uma sentença máxima de mais de 100 anos de prisão, de acordo com especialistas jurídicos.