Economia

Teleperformance investe 1,2 milhões em arena de videojogos em Lisboa. E vai ter equipa própria

24 maio 2022 12:45

A nova arena de eSports da Teleperformance tem 611 metros quadrados

teleperformance

Empresa especializada no telemarketing e serviços de apoio ao cliente vai dar início a um momento de viragem com inauguração da primeira arena da marca a nível mundial

24 maio 2022 12:45

Augusto Martinez Reyes começou como operador de telemarketing há 17 anos, e foi partir daí que evoluiu em vários cargos até se tornar diretor executivo da Teleperformance em Portugal e garantir um lugar para a história da empresa já na sexta feira: “vamos inaugurar a primeira arena dedicada aos eSports [videojogos] no grupo Teleperformance”.

A nova arena vai ficar situada no Parque das Nações, em Lisboa. A remodelação do espaço especializado em torneios de videojogos está orçada em 1,2 milhões de euros.

“Estamos também a trabalhar para ter uma equipa de profissionais de eSports. Vai ser algo desenvolvido em parceria com outra marca”, informa o responsável da Teleperformance em Portugal.

Augusto Martinez Reyes garante que a futura equipa da Teleperformance vai começar por disputar torneios de âmbito europeu e só depois deverá evoluir para torneios de escala mundial.

A empresa confirma que está em fase de prospeção de jogadores profissionais para contratação, e informa que vai ter uma equipa especializada no videojogo FIFA, mas não fornece muito mais detalhes sobre outras modalidades (ou videojogos) que poderão vir a ter equipa com a marca Teleperformance.

“Com estes investimentos queremos captar mais clientes, mas também queremos captar mais profissionais para trabalhar na Teleperformance”, informa Martinez Reyes.

Os videojogos já não são propriamente uma novidade no grupo Teleperformance, mas a inauguração de uma arena especializada representa um ponto de viragem.

Nos últimos anos, a empresa tem vindo a disponibilizar serviços de apoio ao cliente para fãs e plataformas comerciais de videojogos. Com a constituição de uma arena e de equipas especializadas em diferentes modalidades, a Teleperformance conta tornar-se interveniente direta no ecossistema.

Além de disponibilizar a nova arena para torneios e ações de formação para um universo potencial de 13 mil trabalhadores que se encontram em Portugal, a Teleperformance conta usar o novo espaço como “residência” das equipas próprias e albergar torneios organizados pelas marcas clientes da área dos videojogos.

A arena da Teleperformance vai ter espaços próprios para as equipas se prepararem para os torneios

A arena da Teleperformance vai ter espaços próprios para as equipas se prepararem para os torneios

teleperformance

“Tento ser cuidadoso quando digo estas coisas, mas nos contactos que tive com empresas e parceiros desta área, todos me disseram que não têm conhecimento de um investimento desta dimensão nesta área (das arenas de eSports) em Portugal. Quando começámos a pensar nisto, não tivemos como objetivo sermos os maiores, mas sim adaptarmo-nos às necessidades do mercado”, descreve Augusto Martinez Reyes.

A delegação portuguesa será a primeira a ter uma arena no grupo Teleperformance, mas poderá não ser a única. China e América Latina poderão vir a receber investimentos similares nos próximos tempos.

"A tendência é que as diferentes delegações marquem presença neste segmento. É possível que nem todas invistam em arenas, mas é natural que venham a ter equipas de eSports", acrescenta Augusto Martinez Reyes.

A Arena da Teleperformance vai ter 611 metros quadrados. Tem capacidade para albergar 50 jogadores e uma assistência de 60 pessoas. No interior, haverá várias consolas da Microsoft e da Nintendo, máquinas de arcada e computadores prontos para suportar diferentes competições ou para fazer a transmissão dos jogos para os espectadores.

“Todos os equipamentos que comprámos são para uso profissional”, sublinha o responsável da Teleperformance.

São todos estes recursos que vão ser estreados na sexta-feira com participações de equipas de eSports como SK Gaming e AC Milan QLASH, jogadores como Leonardo Lopez ou João Oliveira (jogador de eSports do Benfica), e ainda um primeiro torneio que deverá trazer jogadores profissionais nas modalidades de FIFA, Brawl Stars, Counter-Strike, e Super Smash Bros. No curso do torneio será atribuído um total de 100 mil euros em prémios.

Com estimativas que atribuíram ao segmento um valor de 165 mil milhões de euros a nível mundial, Augusto Martinez Reyes não tem qualquer dúvida de que os jogos têm já uma vertente empresarial consolidada: “Nos eSports é assim que funciona. Se queremos ter a participação de jogadores profissionais temos de os atrair com prémios”. O jogo está prestes a começar.