Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Fundo de €46 milhões vai apoiar startups tecnológicas

Stephan Morais

Nuno Botelho

Indico Capital Partners anunciou o lançamento de um fundo de investimento independente e privado, que vai investir nas fases iniciais das startups tecnológicas. Stephan Morais, líder da sociedade de capital de risco, diz que o fundo tem abrangência ibérica, mas a prioridade vai para apoiar empresas nacionais

Catia Mateus

Catia Mateus

Jornalista

A sociedade de capital de risco portuguesa Indico Capital Partners, liderada por Stephan Morais, o ex-administrador executivo da Caixa Capital, entidade gestora dos fundos de investimento da Caixa Geral de Depósitos, acaba de anunciar o lançamento do seu primeiro fundo de investimento, o Indico Capital Partners VC I, com €46 milhões comprometidos por 20 investidores de oito países distintos.

O fundo tem como alvo startups tecnológicas em fase de arranque e visa "identificar, investir e capitalizar as startups ibéricas mais promissoras, em particular as sediadas em Portugal", explica Stephan Morais, presidente do conselho de administração da Indico Capital Partners. O fundo irá direcionar os seus investimentos para empresas que atuem em áreas como o Saas ("software as a service"), B2B ("business to business" ou negócio a negócio), inteligência artificial, fintech (empresas tecnológicas de serviços financeiros), cibersegurança, mas também "marketplaces" (mercados de comércio online) e plataformas digitais de venda ao consumidor (B2C).

"O fundo permitirá às startups portuguesas aceder ao financiamento de que necessitam para transformar as suas ideias em projetos concretos, crescimento económico e criação de emprego", afirma Jyrki Katainen, vice-presidente da Comissão Europeia, com tutela das áreas do emprego, crescimento, competitividade e investimento.

€41 milhões angariados

Na constituição deste instrumento, a Indico conta com o Fundo Europeu de Investimento (FEI), o maior investidor institucional europeu nesta classe de ativos, como investidor principal. Pier Luigi Gilbert, presidente executivo do fundo, diz-se satisfeito com a parceria que permitirá "identificar e desenvolver boas oportunidades de investimento", acrescentando que o FEi continuará a focar-se em investimentos em Portugal e no resto da europa para "apoiar o desenvolvimento de uma nova geração de disruptores".

Ao FEI juntam-se mais 20 investidores institucionais e individuais de várias nacionalidades - Instituição Financeira de Desenvolvimento, através do Portugal Tech, a Draper Spirit (um dos maiores fundos de venture capital mundiais que conta com investimentos como a Revolut), além de fundos de pensões, instituições de ensino e investigação, entidades gestoras de fortunas, empresários, gestores e empreendedores de tecnologia locais e internacionais - que permitiram alcançar os primeiros €41 milhões dos €46 milhões comprometidos pelo fundo. A Indico Capital tem agora mais um ano para continuar a angariar capital.

Cristina Fonseca, Stephan Morais e Ricardo Torgal

Cristina Fonseca, Stephan Morais e Ricardo Torgal

Nuno Botelho

Fundada em setembro de 2017, um mês depois de Stephan Morais ter abandonado a Caixa Capital, a Indico Capital Partners integra na equipa de gestão Cristina Fonseca, cofundadora e sócia da Talkdesk, a startup portuguesa de soluções de "call center" na nuvem que no último ano atingiu o estatuto de unicórnio, depois de ter sido avaliada em 1,2 mil milhões de dólares (€100 mil milhões), e Ricardo Torgal, ex-gestor de investimentos da Caixa Capital que integra a bolsa de avaliadores especialistas da Comissão Europeia para a aplicação de instrumentos de apoio a Pequenas e Médias Empresas (PME).

Na liderança da Caixa Capital, Stephan Morais geriu um portfolio de investimento de 30 participadas, entre elas a Farfetch, Unbabel e Codacy, entre outras. À experiência de cada um dos elementos da equipa de gestão, a Indico alia uma rede internacional de especialistas e um conjunto internacional de fundos de investimento parceiros que, segundo Stephan Morais, serão "fundamentais para as consequentes rondas de financiamento".

Quatro investimentos já fechados

O fundo da Indico Capital irá investir entre €150 mil e €5 milhões por empresa na fase inicial (rondas pre-seed a série A e subsequentes) durante um período de dez anos. "As empresas alvo do portfolio do fundo ambicionam tornar-se líderes globais na sua categoria", revela Stephan Morais, que, em declarações ao Expresso, admitiu que "os quatro primeiros financiamentos já estão fechados, faltando apenas acertar um ou outro detalhe", mas optou por não revelar quais as primeiras empresas participadas pelo fundo nem qual o montante investido em cada uma.

Para Stephan Morais, "este é o maior fundo privado e independente português destinado a empresas tecnológicas globalmente promissoras". Segundo o líder da Indico Capital Partners, "não havia até agora um operador independente privado que cobrisse, como este fundo, investimentos entre os €150 mil e os €5 milhões em startups tecnológicas na sua fase inicial".