Cultura

Dizem que é a maior sala de ensaios da Europa, mas Câmara do Porto vê o fecho como inevitável: a música pára no centro comercial Stop?

17 novembro 2022 19:11

Hakan (baixo), Tiago Oliveira (bateria) e Ricardo Vasconcelos (guitarra)

fernando veludo

É um viveiro para uma comunidade de 500 músicos que, desde meados de 1990, transformou as mais de 150 lojas em salas de ensaio e estúdios de gravação. As bandas dizem que aquela é a “verdadeira casa da música” e avisam que o “fantasma do hotel” paira no edifício - “somos a próxima velhinha a ser expulsa de casa por causa de interesses imobiliários”. Porém, são as falhas de segurança que assombram o futuro do espaço: sem obras de requalificação, a Câmara do Porto diz que a atividade no Stop é inviável. “É tramado ficar sem casa, não é?”

17 novembro 2022 19:11

As paredes estão grafitadas e adornadas com posters. As escadas rolantes há muito que não funcionam, tampouco os elevadores e já nada se vende nas 157 lojas de um shopping só aparentemente abandonado, inaugurado no Porto em 1982, reconvertido numa montra para aproximadamente 500 músicos que ali têm poiso criativo. “Obrigado pela visita”, lê-se à entrada do centro comercial Stop, onde a produção artística tem via verde desde meados de 1990 mas que agora pode ser obrigada a parar por problemas de segurança no edifício, nomeadamente a falta de duas saídas de emergência e de um sistema de deteção de incêndios