Boa Cama Boa Mesa

Aos 101 anos, morreu Emílio Andrade, proprietário da Adega Tia Matilde e sócio número 1 do Benfica

30 agosto 2022 19:26

Partiu aos 101 anos, o proprietário e anfitrião de sempre do restaurante Adega Tia Matilde. Prémio Carreira para o Boa Cama Boa Mesa em 2021, era, além de conhecido sócio número 1 do Benfica, também primeiro sócio do Casa Pia.

30 agosto 2022 19:26

Aos 101 anos, partiu Emílio Andrade, proprietário e anfitrião de um dos mais conceituados restaurantes de Lisboa, a Adega Tia Matilde.

As cerimónias fúnebres decorrem esta quinta-feira, 1 de setembro, a partir das 9h30, com velório na Igreja de Nossa Senhora de Fátima (Av. de Berna, Lisboa). Pelas 12h00 celebra-se a missa seguida de cortejo para o Cemitério de Caneças, onde ficará sepultado no jazigo da família.

Emílio Andrade

Emílio Andrade

Nascido em abril de 1921, em 2021, aos 100 anos, Emílio Andrade foi distinguido pelo Boa Cama Boa Mesa, ex-aequo com Lurdes Graça, do restaurante Manjar do Marquês, com o Prémio Carreira. No ano anterior, o guia atribuiu ao restaurante a distinção Mesa com Mérito. Já em 2022, aos 101 anos, Emílio Andrade vestiu a camisola do Benfica e sentou-se à mesa com o cartão de sócio número 1. No “currículo” encarnado consta também a contribuição para a construção do estádio anterior. Apesar dos convites, nunca quis assumir um cargo no clube do coração. “A minha vida é esta [o restaurante]”, confessava recetemente ao Boa Cama Boa Mesa, entrevistado para o Prato Forte da Jornada, em que sugeriu, pelo Benfica, o “Pato corado com arroz”.

O espaço foi fundado em 1926 pela sua mãe, a “Dona Matilde” e, no início, era apenas uma tasca de bairro apoiando o apeadeiro dos comboios, ali ao lado. O chão era em terra batida e ao balcão serviam-se copos de vinho e petiscos. Certo dia, um grupo de construtores, apreciadores de cabidela, trouxe tábuas das obras para fazer um piso por cima do jogo da Laranjinha. Montaram aí uma mesa, bancos e serviu-se a primeira refeição do restaurante: cabidela. “Um começo curioso”, nota Jorge Sampaio, que se orgulha de, ainda hoje, o prato continuar a ser um dos mais procurados pelos clientes.

Emílio Andrade

Emílio Andrade

Conheça a história da longa relação entre Eusébio, o Benfica e a Adega Tia Matilde, um dos mais conceituados restaurantes de Lisboa onde o Pantera Negra tem uma mesa sempre reservada.

Prémio carreira 2021
Emílio Andrade começou muito cedo a trabalhar para ajudar os pais na então taberna, fundada em 1926, e transformada na atual Adega Tia Matilde, em Lisboa. Continuou sempre a gerir o restaurante e a receber os clientes sempre de sorriso aberto e franco.

“É com grande honra e satisfação que recebo o Prémio Carreira do Boa Cama Boa Mesa que entenderam atribuir-me, o qual muito me orgulha”, reagiu, em 2021. Mais que mero fundador e proprietário da Adega da Tia Matilde, ao Bairro do Rego, em Lisboa, foi sempre um anfitrião irrepreensível, que conhece como poucos a arte de bem receber e recomendar os pratos da sua icónica casa com as melhores harmonizações vínicas.

“Este prémio tem tanto mais significado quando, no passado mês de abril, completei 100 anos de vida, a maior parte deles com o esforço, auxílio e dedicação da minha mulher. Juntos conseguimos transmitir às nossas filhas o gosto por esta nobre atividade e sem as quais também não seria possível chegar onde cheguei”, explicou, na altura, ao Boa Cama Boa Mesa, aludindo a Isabel e Matilde, as duas filhas à frente da Ti Matilde, com o pai.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!