Coronavírus

Covid-19: devemos levar a sério a vacina russa? “É diferente produzir anticorpos contra o vírus e conseguir proteção contra a doença”

12 agosto 2020 10:17

Uma investigadora do laboratório Openlab, na Universidade Federal de Kazan, na Rússia, manipula biomaterial na procura de uma vacina para a covid-19

yegor aleyev/tass/getty images

Os investigadores estão a fazer as perguntas erradas e os esforços colocados na produção de uma vacina não garantem necessariamente vitória contra a covid-19. É Jorge Gonçalves que o diz, em entrevista ao Expresso, depois de a Rússia ter anunciado o registo da primeira vacina contra o novo coronavírus. Para o diretor do laboratório de Farmacologia da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, a resposta para os sintomas mais graves da infeção pode até já existir

12 agosto 2020 10:17

A Rússia anunciou ter registado a primeira vacina contra o novo coronavírus, mas Jorge Gonçalves, diretor do laboratório de Farmacologia da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, não está particularmente otimista. Também não o preocupam as reservas colocadas perante a celeridade russa - prefere colocar a tónica na necessidade de revisitar o que a ciência já nos ensinou, para que o mundo não embarque em caminhos cegos, ou corra atrás de supostas soluções que ignorem factos estudados.