Exclusivo

Sociedade

Caso Cashball: juiz do Porto declara-se incompetente e manda processo para Leiria. Diz que é tudo uma questão de aritmética jurídica

Caso Cashball: juiz do Porto declara-se incompetente e manda processo para Leiria. Diz que é tudo uma questão de aritmética jurídica
DBenitostock

O juiz Pedro Esteves de Brito entende que o processo em que serão julgadas tentativas de corrupção a um jogador de futebol do Chaves e a dois árbitros de andebol deverá decorrer em Leiria e não no Porto. As suspeitas de batota remontam a 2017

Se depender da vontade do juiz 14 do Juízo Criminal do Porto, o julgamento do caso Cashball decorrerá a 182 quilómetros da invicta, no tribunal de Leiria. É que para Pedro Esteves de Brito, que deveria presidir ao julgamento de dois empresários de futebol e um ex-funcionário do Sporting por tentativa de corrupção, o Tribunal do Porto “não é competente” para fazer o julgamento. Porquê?

Artigo Exclusivo para assinantes

Assine já por apenas 1,63€ por semana.

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: RGustavo@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas