Exclusivo

Sociedade

“É preciso morrer mais alguém?”: ameaças, episódios de violência e burnout levam inspetores do SEF a pedir para sair de centro de instalação

“É preciso morrer mais alguém?”: ameaças, episódios de violência e burnout levam inspetores do SEF a pedir para sair de centro de instalação
Tiago Miranda

Os inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras alocados à Unidade Habitacional de Santo António apresentaram requerimentos em massa para serem afastados do centro, alegando não terem os meios para responder a situações frequentes de violência e ameaças, que têm potenciado a degradação da sua saúde mental e atentado contra a sua integridade física nos últimos meses

Inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) denunciam episódios de “violência e gritos” a que têm estado sujeitos na Unidade Habitacional de Santo António (UHSA), no Porto, o único centro de instalação temporária de imigrantes em território nacional, que tem estado sobrelotado. No dia 16 de fevereiro, todos os dez inspetores ainda em exercício na unidade - onde a PSP deverá assumir funções, após a transição - enviaram à Direção Nacional do SEF um requerimento para que possam afastar-se daquele posto de trabalho.

Artigo Exclusivo para assinantes

Assine já por apenas 1,63€ por semana.

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: clubeexpresso@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas