Sociedade

Aumento dos afogamentos: "Maioria dos portugueses não sabe identificar perigos nem respeita regras"

12 agosto 2022 16:16

pedro nunes

Presidente da Federação Portuguesa de Nadadores Salvadores, Alexandre Tadeia, garante que a maioria das pessoas não tem uma cultura de segurança aquática e lamenta que num dos países com mais praias da Europa haja apenas duas páginas sobre o tema em todo o currículo escolar. Só este ano, até ao final de julho, 88 pessoas morreram afogadas em praias, barragens, piscinas e poços. É o valor mais alto desde 2017.

12 agosto 2022 16:16

No mar, correntes e agueiros são responsáveis por quase 90% das mortes, mas a maioria dos banhistas não sabe o que fazer. Já nos rios o maior perigo é o excesso de confiança das pessoas, explica Alexandre Tadeia. Em entrevista ao Expresso, o responsável da Federação de Nadadores Salvadores fala das dificuldades da profissão e defende alterações urgentes na legislação sobre piscinas.