Sociedade

Operação Marquês: Há dois cofres no meio da sala

30 novembro 2019 9:17

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Jornalista

tiago miranda

Além de Maria Adelaide, que no passado se queixou de estar “depenadinha”, também Santos Silva confessou juntar dinheiro num cofre

30 novembro 2019 9:17

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Jornalista

Carlos Santos Silva nem queria falar nesta fase de instrução — foram os arguidos Rui Mão de Ferro e Gonçalo Trindade Ferreira que pediram a sua inquirição — mas teve de se sujeitar a três dias de interrogatório cerrado do juiz Ivo Rosa e foi o que se esperava: amigo de Sócrates. Admitiu que, tal como a mãe do companheiro de longa data, guardava uma pequena fortuna (200 mil euros em numerário) num cofre alugado num banco em nome de Trindade Ferreira que era na altura seu advogado. O dinheiro vivo serviria para pagar a facilitadores de negócios no estrangeiro. “É o mundo da construção civil”, justificou Carlos Santos Silva a um provavelmente espantado Ivo Rosa.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. Pode usar a app do Expresso - iOS e Android - para descarregar as edições para leitura offline)