Prémio Nacional Turismo

Distinguir mais e melhores projetos: Prémio Nacional de Turismo 2022 já foi apresentado

17 março 2022 18:47

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, discursou no arranque da edição 2022 do Prémio Nacional de Turismo

nuno fox

Promover, incentivar e distinguir as melhores entidades, práticas e projetos do sector é o grande objetivo da quarta edição do PNT, uma iniciativa do Expresso e do BPI. Candidaturas arrancam a 1 de abril

17 março 2022 18:47

Coincidindo com o regresso da Bolsa de Turismo de Lisboa, após dois anos de pandemia, a quarta edição do Prémio Nacional de Turismo (PNT) foi apresentada esta quinta-feira na FIL. Iniciativa do Expresso e do BPI, pretende premiar os negócios e os projetos portugueses que se distingam como casos de sucesso, enquadrados nas categorias de Turismo Autêntico, Turismo Gastronómico, Turismo Inclusivo, Turismo Inovador e Turismo Sustentável. As inscrições começam a 1 de abril e decorrem até 31 de maio. Os vencedores devem ser conhecidos até ao final do ano.

“Este é um prémio que motiva os agentes a apresentarem o que de melhor vão fazendo na atividade diária e que ajuda a divulgar a oferta turística, uma vez que os portugueses, devido à pandemia, descobriram o mercado turístico interno”, destacou o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, na cerimónia de apresentação do PNT 2022. Apesar de todo o contexto de instabilidade e incerteza, consequentes da guerra na Ucrânia, Francisco Pedro Balsemão, CEO do Grupo Impresa, considerou que “o turismo - e as empresas que queremos premiar - são uma peça-chave na capacidade de resistirmos a esta nova crise, de crescermos no pós-pandemia, de nos afirmarmos como destino europeu”. Neste cenário, traçou como grande objetivo “mapearmos ainda mais empresas, batendo o recorde de candidaturas. Porque estes projetos existem e merecem ser premiados”. Recorde-se que, em 2021, o PNT recebeu 439 candidaturas.

Otimista em relação a 2022, apesar da conjuntura internacional, Pedro Barreto, administrador executivo do BPI, reforça a importância de continuar a “apostar na qualidade, nos recursos humanos e na sustentabilidade do setor”, destinando para tal uma verba superior a €40 milhões para colocar no sector.

Ana Garcia, presidente da direção da Accessible Portugal; Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal; e António Trindade, presidente e CEO do grupo PortoBay, debateram sobre os desafios do sector

Ana Garcia, presidente da direção da Accessible Portugal; Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal; e António Trindade, presidente e CEO do grupo PortoBay, debateram sobre os desafios do sector

nuno fox

As categorias

Na quarta edição do Prémio Nacional de Turismo vão ser avaliados negócios e projetos nacionais que se distingam como casos de sucesso, enquadrados nas categorias de Turismo Autêntico, Turismo Gastronómico, Turismo Inclusivo, Turismo Inovador e Turismo Sustentável. Pretende-se ainda, com este prémio, incentivar e dar notoriedade a projetos de cariz público ou institucional, tipicamente promovidos por autarquias locais, entidades intermunicipais e outras entidades institucionais de âmbito local ou regional, nas categorias mais adequadas aos seus objetivos e características.

No Turismo Autêntico procura-se a diferenciação de Portugal como destino, devendo a experiência relevar e preservar a autenticidade local e regional, e a vivência das comunidades locais. Premiar a estratégia das empresas de utilização, valorização e promoção da gastronomia regional e/ou local, ao nível do conceito e da oferta gastronómica, é o objetivo da categoria Turismo Gastronómico. No caso do Turismo Inclusivo pretende-se distinguir a promoção das marcas, destinos e experiências que potenciem a inclusão e a confiança, enquanto no Turismo Inovador se procura a criatividade ao nível dos produtos e serviços, modelo de negócio, comunicação, conectividade e gestão de recursos. O compromisso com a sustentabilidade, nas suas dimensões económica, ambiental e social, é assumido na categoria Turismo Sustentável, incontornável numa fase de retoma da atividade turística.

A qualidade das candidaturas será avaliada pela Deloitte, por Comités Técnicos e por um Júri. O impacto, a formação, a sustentabilidade e a resiliência das empresas são alguns dos critérios transversais utilizados para essa avaliação e eleição dos vencedores. O Prémio Nacional de Turismo conta com o patrocínio do Ministério da Economia e da Transição Digital, o apoio institucional do Turismo de Portugal, e o apoio técnico da Deloitte, enquanto knowledge partner.