Política

Guerra de drones em Troia: "É o maior exercício de robótica da NATO e do mundo”, diz Gouveia e Melo

23 setembro 2022 23:47

Vítor Matos

Vítor Matos

Jornalista

Tiago Miranda

Tiago Miranda

Fotojornalista

tiago miranda

Dezassete marinhas da NATO e mais de 1500 militares e civis, empresas e universidades, têm estado em Troia a testar os drones aéreos, submarinos e de superfície tecnologicamente mais avançados. Para a Aliança, a "guerra do futuro" exige interoperabilidade entre os vários países para operar estes meios

23 setembro 2022 23:47

Vítor Matos

Vítor Matos

Jornalista

Tiago Miranda

Tiago Miranda

Fotojornalista

As dezenas de convidados das marinhas da NATO, todos de farda branca e galões dourados, estão habituados a águas mais revoltas que as do Sado, que atravessaram num ferry, esta sexta-feira. No convés, a ministra da Defesa, Helena Carreiras, e o chefe do Estado-Maior da Amada, almirante Gouveia e Melo, assistiam ao desfile de novas “tecnologias disruptivas” na área da Defesa. À frente do barco civil que todos os dias transporta carros e passageiros de Setúbal para Troia, exibia-se uma lancha turca não tripulada - vulgo drone de superfície - sobrevoada por vários drones de países diferentes. Ao fundo, recortavam-se no nevoeiro matinal duas fragatas (uma britânica e outra portuguesa), um draga-minas britânico e um navio polivalente logístico holandês.