Política

Cavaco está "azedo e ressabiado"? Rui Rio "curtiu" isso

2 junho 2022 13:47

David Dinis

David Dinis

Director-adjunto

jose coelho

Ex-Presidente escreveu um artigo com muita ironia dirigida a António Costa. O comentador Pedro Marques Lopes escreveu no Twitter que Cavaco está "azedo e ressabiado" e o líder cessante do PSD meteu um "gosto". Bastou isso para que alguns sociais-democratas fossem comentar por baixo. O timing do artigo do ex-PR foi cirúrgico: cinco dias depois de eleito um novo líder do partido

2 junho 2022 13:47

David Dinis

David Dinis

Director-adjunto

Foram precisos quatro meses para que Cavaco Silva escrevesse uma carta pública a António Costa - carregada de ironia - dando-lhe os parabéns pela maioria absoluta. Mas só foram precisos alguns minutos para que o artigo lançasse uma confusão no PSD.

Na quinta-feira, pouco depois do artigo do ex-Presidente ter sido publicado no Observador, o comentador da SIC Pedro Marques Lopes foi fazer um curto comentário no seu Twitter:

Mas a pergunta, em jeito de crítica veemente ao ex-Presidente e ex-líder social-democrata, teve uma reação inesperada: é que o atual líder do PSD foi colocar um "gosto" ou "curtiu" (na gíria desta rede social) no post do comentador.

E seguiu-se um pequeno turbilhão: Duarte Marques, um dos críticos de Rio que acabou fora das listas de deputados nas eleições de janeiro, respondeu assim: "O pior deste tweet é mesmo o like do ainda Presidente do PSD.". Abaixo dele, um outro ex-deputado - Carlos Abreu Amorim - questionou: "Duarte, Esse like é verdadeiro?" Mas era verdadeiro, o nome de Rui Rio linkava para a sua página oficial. Linkava, no passado, porque o Expresso correu os 911 "likes" do texto às 13h00 de sexta-feira e já não encontrou o de Rio, ao contrário do que acontecia na sexta.

Do lado de Luís Montenegro, o líder eleito do partido, não se leram nem ouviram comentários. Mas é sabido que Montenegro é admirador de Cavaco - um dia antes de ser eleito chegou mesmo a dizer ao Público que seria um dos dois ex-líderes a quem ligava se fosse eleito (o outro era Passos Coelho).

Certo é que o polémico artigo do ex-PR e ex-primeiro-ministro voltava a apontar o dedo a Rui Rio, que responsabilizou pela maioria conseguida por Costa: “É certo que beneficiou dos erros do PSD e da benesse do PCP e do BE ao chumbarem o Orçamento do Estado para 2022, mas ninguém lhe pode tirar o mérito”, escreveu Cavaco Silva. Não foi a primeira crítica, longe disso: eles repetiram-se em alguns momentos da liderança de Rio. Já sobre Montenegro não se ouviu ainda Cavaco, embora o artigo tenha sido publicado num momento cirúrgico, quatro dias depois de ter sido eleito presidente do PSD. O texto, de resto, pode ser lido como um guião para o novo líder da oposição, visto que é fácil identificar vários critérios para medir o sucesso - ou não - da governação de Costa nestes anos que se seguem. Em resumo: capacidade reformista, menos Estado e mais diálogo com a oposição.

Do lado socialista, António Costa limitou-se a dizer na quinta-feira ainda não ter lido o texto. Mas Ascenso Simões, no Expresso, vai mais longe dizendo que Cavaco "tem inveja" de Costa.