Bloco de Leste

Bálticos: três países unidos pela “obsessão” com a Rússia, e para quem a NATO é a garantia de que não são invadidos por Putin

30 junho 2022 7:15

Martim Silva

Martim Silva

Diretor-Adjunto

Lituânia, Letónia e Estónia são três pequenos Estados que, depois do fim do Império russo, conseguiram a independência, perdida no entanto na II Guerra Mundial e só recuperada após a queda da União Soviética. Seguiu-se um rápido processo de 'ocidentalização', rumando à União Europeia e também à NATO. Trata-se, portanto, de uma zona geoestratégica vital. Uma conversa com Paulo de Almeida Sande, professor, analista e comentador de assuntos europeus no podcast Bloco de Leste

30 junho 2022 7:15

Martim Silva

Martim Silva

Diretor-Adjunto

Porque é importante olharmos para os três países Bálticos quando falamos desta guerra? "São relevantes porque são dos mais ativos e empenhados nesta oposição à invasão russa da Ucrânia", afirma Paulo de Almeida Sande. Sublinhando existir na Lituânia, Estónia e Letónia uma verdadeira "obsessão" com a Rússia, considerado o antigo "invasor". Além disso, nesta região que bordeja com a Rússia, já desde 2017 que estão instalados os chamados 'battle groups' da NATO - Uma reação à invasão russa do leste da Ucrânia e da Crimeia em 2014.

Esta é uma guerra que assusta estes países, que em dimensão são mais pequenos que Portugal. "Eles sabem que rapidamente são submergidos por uma invasão da Rússia", em caso da guerra alastrar. E a NATO serve aqui como uma garantia de segurança - um ataque a um país da Aliança é um ataque a todos. Paulo de Almeida Sande acredita que esta garantia de segurança será suficiente para evitar o alargar da guerra. Putin não vai "correr esse risco", afirma. Ao contrário, "sem a NATO, e sem o artigo 5, a Rússia não hesitaria em agir".

Uma conversa em que se fala das diferenças entre os três países, de Merkel, do futuro da União Europeia e da NATO, e ainda de Kaliningrado. E de como o impossível, o regresso da guerra à Europa, acontece em pleno século XXI.

A guerra é na Ucrânia, mas os efeitos fazem sentir-se em muitos outros países. O novo podcast do Expresso olha para Leste: da Polónia ao Cazaquistão, do Báltico à China. Todas as semanas um episódio dedicado a um país. Bloco de Leste é um projeto de Martim Silva, diretor-adjunto do Expresso.