As Mulheres Não Existem

Cristina Casalinho: “A desigualdade salarial começa por se resolver com a transparência”

A economista Cristina Casalinho, até recentemente presidente da Agência de Gestão da Tesouraria e Dívida Pública, é a convidada de Carla Quevedo e Matilde Torres Pereira no podcast As Mulheres Não Existem, numa conversa que passou pelos desafios de incluir no discurso político os temas do trabalho não pago, a desigualdade salarial e os benefícios para as economias quando dão mais oportunidades às mulheres

Licenciada em Economia e mestre em Gestão e Administração de Empresas, Cristina Casalinho entrou para o IGCP em 2012, tendo sido presidente da instituição de 2014 a Junho deste ano. Afirma que o problema principal de Portugal, no que diz respeito ao seu desenvolvimento económico, não está tanto na escassez de recursos, mas com “o que fazemos com o que temos”, numa aposta tardia na formação da população, além de apontar para “uma vanguarda pouco ambiciosa” em Portugal: “É difícil dizermos às pessoas que queremos ter liberdade, democracia, se não têm como satisfazer a alimentação ou outras necessidades básicas”.

Assinala que “em Portugal, o trabalho não pago, doméstico, corresponderá a 20 a 25% do PIB” e que para começar a solucionar esta questão “há que trabalhar no instrumento, mas também na cultura”. Ou seja, “há que tentar que as licenças de parentalidade sejam mais flexíveis, alargadas, que não haja penalizações nas licenças”, e também que se mude a cultura, combatendo os estigmas em questões do quotidiano, como ter de sair mais cedo para ir buscar os filhos à escola ou levar os pais a uma consulta.

Contou ainda como Portugal era visto lá fora em 2012: “Numa das primeiras reuniões na Alemanha, ainda não estávamos sequer sentados, e um investidor perguntou logo: “Vocês vão pagar?”. Quanto a 2023, afirma que seria inevitável haver um abrandamento económico no nosso País.

Houve ainda tempo para falarmos sobre a primeira mulher a ser galardoada com o prémio Nobel da Economia, Elinor Ostrom, com um estudo sobre mecanismos de cooperação, sobre as manifestações no Irão na sequência da morte de uma jovem por uso indevido do hijab, e ainda para recomendarmos um conto de Shirley Jackson, Lottery, e da poesia de Alejandra Pizarnik no ano em que se cumprem 50 anos da sua morte.

tiago pereira santos

Todas as semanas, trazemos uma nova convidada para uma conversa exclusiva sobre a sua vida e o percurso profissional - mulheres que são casos individuais e também inspiradores de determinação, curiosidade, inteligência e vontade de arriscar. Vamos também dar a conhecer histórias de mulheres que marcaram a sociedade e foram pioneiras nas suas áreas. Vamos falar das preocupações e reivindicações das mulheres hoje, e das notícias em que as mulheres são protagonistas. E a cada semana vamos trazer novas recomendações de autoras femininas ou em que as mulheres são protagonistas - desde livros, artigos, filmes e exposições a músicas e documentários.

As Mulheres Não Existem é um podcast sobre mulheres para ouvintes de todos os géneros. Pode ouvir e seguir os episódios em todas as plataformas de podcast e no site do Expresso. As Mulheres Não Existem tem o patrocínio do Banco Credibom e piscapisca.pt