Opinião

Massacre do Texas: em defesa do pesadelo americano

26 maio 2022 8:03

Num país que se governou longe do Estado central, andar armado correspondia ao direito a viver. Hoje, o apego às armas nada tem a ver com o apego à Constituição ou à liberdade. É o apego a uma sociedade onde a violência continua a ser das mais poderosas formas de autorregulação social. Limitar a venda de armas é contrariar uma ideologia que se baseia não apenas na liberdade individual, mas na liberdade do mais forte, substrato ideológico que construiu parte dos mitos da América

26 maio 2022 8:03

Nem mais um massacre numa escola norte-americana, que tirou a vida a 19 crianças e duas professoras, irá fazer mudar a lei das armas. Porque há sempre uma outra razão qualquer para explicar a carnificina. Até há razões mais profundas que não vão desaparecer com a mudança na lei. Elas estão, aliás, na origem desta paixão americana pelas armas.