Opinião

Lusopass, o primeiro currículo simples para candidatos a coisas do Governo e arredores

3 outubro 2020 9:57

Até à criação desta fabulosa plataforma, era difícil escolher um perfil adequado para tarefas exigentes da Administração Pública

3 outubro 2020 9:57

Lusopass é simples, é barato e se as pessoas aguentarem o tempo suficiente também dá uns milhares de euros sem grande trabalho. Tudo se baseia na informação, pois como sabem a nossa sociedade é a da informação, porque depende mais das coisas que publicamos nas redes sociais do que daquilo que fazemos. Além disso, como se torna difícil saber o que cada um faz — uma vez que o Lusopass se dirige a pessoas que fazem pouco ou nada, salvo estarem nas redes sociais a socializarem (como é próprio) —, os dirigentes do Estado precisam de guias e de esclarecimentos sobre quem é quem e qual é a experiência de cada um. Sim, porque a ideia de jobs for the boys acabou definitivamente e, hoje em dia, ninguém é escolhido sem passar por uma análise curricular meticulosa. Daí a urgência do Lusopass.

O exemplo que aqui é dado pretende apenas tornar mais clara a compreensão deste instrumento e a validade da sua plataforma. Basta carregar em lusopass.gov.pt no seu computador e surgem-lhe as indicações de forma simples. Depois pode descarregá-lo, imprimi-lo e fazê-lo seguir para o destinatário. Opcionalmente, para os dirigentes mais modernos, pode anexá-lo ao correio eletrónico e expedi-lo. Vejamos o exemplo.