Guerra na Ucrânia

“Uma revolução na forma de combater uma guerra”: como a Ucrânia usa o algoritmo no terreno e a Rússia “está cinco anos atrás”

26 dezembro 2022 10:19

Unidade de sistemas de informação aérea em Bakhmut

laurent van der stockt

Métodos antigos a par de tecnologias novas, muito precisas e apuradas na arte do “engano”. A guerra na Ucrânia é um laboratório que possibilitou a ascensão do país invadido enquanto potência da tecnologia. Mas que impacto têm os novos sistemas no terreno? Peter Layton, analista do Royal United Services Institute, esclarece: não é fator determinante da vitória da Ucrânia, mas da sua vantagem. A estratégia decidirá a guerra

26 dezembro 2022 10:19

A inovação tecnológica tem, na guerra na Ucrânia, um papel de destaque. A precisão com que os alvos são atacados decorre do aperfeiçoamento da tecnologia norte-americana, mas também do material e ‘expertise’ da Ucrânia, que pode vir a emergir do conflito enquanto potência tecnológica. Peter Layton, investigador das áreas de estratégia, políticas de segurança nacional, estrutura de força de defesa e impactos da tecnologia emergente, explica, nesta entrevista ao Expresso, como a Ucrânia aprimorou os sistemas civis e de guerra para usar no campo de batalha e garante que a Rússia ficou para trás. O analista, do Royal United Services Institute, no Reino Unido, fala mesmo de uma “revolução” na forma de combater uma guerra.