Projetos Expresso

Qual é o contributo da indústria cimenteira na construção das cidades do futuro?

19 janeiro 2023 15:18

As declarações dos protagonistas da conferência “Cimentar o Futuro – o Novo Bauhaus Europeu”, organizada pela ATIC em parceria com o Expresso

19 janeiro 2023 15:18

“Tanto o sector do cimento como do betão têm um peso muito grande para a economia nacional e para um ambiente mais sustentável”, considera Anabela Silva, diretora de Serviço da Política Empresarial na Direção Geral das Atividades Económicas

“Globalmente, vai ser um ano complicado - vai continuar a inflação e o encarecimento de materiais - mas são estas alturas de crise que constituem oportunidades”, refere Carlos Mineiro Aires, presidente do Conselho Superior de Obras Públicas

“O sector da construção poderá ser um motivo essencial para mantermos crescimento económico”, diz Fernando Alfaiate, presidente da Estrutura de Missão ‘Recuperar Portugal’

“O grande desafio é ter uma cidade mais sustentável, mais inclusiva e mais bela e os compromissos têm que estar em linha com esta missão” esclarece Filipa Roseta, vereadora da Habitação e Obras Municipais da Câmara Municipal de Lisboa​

“Há novas fontes de financiamento e alternativas em termos de intervenção, não só na habitação como nas infraestruturas, e o sector cimenteiro será fundamental”, realça Isabel Lança, presidente do Conselho Diretivo da Região Centro da Ordem dos Engenheiros​

“Um dos principais desafios atuais é desenvolver os chamados cimentos verdes" refere Jorge Reis, diretor-geral da APEB

“O nosso maior desafio é o tempo porque para chegar à neutralidade carbónica dependemos das tecnologias disruptivas e essas estão em desenvolvimento”, garante Luís Fernandes, presidente da ATIC e CEO da CIMPOR Portugal e Cabo Verde

“Temos que ser, neste momento, mais firmes do que nunca, porque se não a tendência pode ser a de fugirmos ao caminho que nos leva à neutralidade carbónica”, acredita Luís Goucha, presidente da APFAC

“O processo para a descarbonização depende de todos nós e, portanto, o facto da economia desacelerar pode afetar este processo de alguma forma, embora não deva”, defende Mário Lacerda, vice-presidente da ANIPB

“Do ponto de vista da construção temos, em 2023, uma expectativa que as necessidades nos levem a ter mais atividade”, conta Nuno Lacasta, presidente da Agência Portuguesa do Ambiente

“Estamos positivos sobre a dinâmica do mercado da construção para 2023”, diz Otmar Hubscher, vice-presidente da ATIC e CEO da SECIL

“​Os resíduos de construção representam cerca de 35% dos resíduos da Europa e, portanto, é uma fonte de recursos que não se pode desperdiçar”, garante Paulo Ferrão, professor catedrático do IST e membro da Missão da UE “Climate Neutral and Smart Cities”