Expresso

Reportagem do Expresso vence 1.ª edição do grande prémio de Jornalismo Jovem Renascença/Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

18 janeiro 2023 13:15

josé cedovim pinto

O trabalho multimédia “Filhos únicos da terra”, que incide sobre três aldeias onde só vive uma criança, venceu a primeira edição do prémio que visa distinguir trabalhos sobre os problemas, desafios e oportunidades que os jovens enfrentam nos dias de hoje

18 janeiro 2023 13:15

A reportagem multimédia do Expresso “Filhos únicos da terra” foi a vencedora do grande prémio de jornalismo jovem Renascença / Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, na sua primeira edição, para além de ter sido distinguida na categoria de multimédia.

O trabalho, assinado por Joana Ascensão, José Cedovim Pinto e Rui Duarte Silva, centra-se nas três aldeias portuguesas onde só reside uma criança para abordar os problemas demográficos do abandono do interior e do envelhecimento da população.

O prémio de jornalismo jovem lançado pela Rádio Renascença e pela Santa Casa da Misericórdia, atribuído na manhã desta quarta-feira nas instalações da rádio, em Lisboa, visa distinguir trabalhos que tenham o contributo de jornalistas com idades inferiores a 35 anos e cujo tema reflita sobre os problemas, desafios e oportunidades que os jovens enfrentam nos dias de hoje.

Na categoria de rádio venceu a reportagem de Cláudia Silva intitulada “Ponto de Interseção: O que une os jovens e a política” e emitida na Rádio Voz de Alenquer.

Na categoria ‘Grande Prémio Renascença', dedicada apenas a jornalistas da Renascença, foi distinguida a jornalista Daniela Espírito Santo com a reportagem “Nos bastidores do TikTok - O trabalho traumático dos moderadores”.

Também nesta categoria, foi atribuída uma Menção Honrosa ao jornalista Tomás Anjinho Chagas, pela reportagem “Prisão: uma mancha que não sai do currículo”.

Nesta primeira edição do prémio Jornalismo Jovem o júri foi composto por Pedro Leal, diretor de Informação da Renascença, e Alexandre Guerra, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Fernando Zamith, professor auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Luís Santos, professor auxiliar do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho,e Ioli Campos, professora auxiliar da Universidade Católica Portuguesa.