Exclusivo

Sistema financeiro

Apesar do pânico, o Deutsche Bank não é o Credit Suisse (aqui estão três razões e também os riscos)

Apesar do pânico, o Deutsche Bank não é o Credit Suisse (aqui estão três razões e também os riscos)
Kai Pfaffenbach

Supervisores, analistas e responsáveis políticos garantem que o Deutsche Bank está em boas condições e que não é comparável ao Credit Suisse. Há algumas razões para manter sangue frio, mas também alguns fatores de risco específicos. Aqui explicamos quais e por que razão "é de esperar que a volatilidade se mantenha em alta”

Com o Credit Suisse morto e enterrado, o foco está agora no Deutsche Bank, o 8.º maior banco europeu em ativos sob gestão, com 1,32 biliões de euros, o maior da Alemanha, de acordo com a S&P Global Market Intelligence. Tem em comum com a vetusta instituição suíça um legado de escândalos financeiros e de reputação.

Mais uma vez os supervisores dizem que o banco está numa situação sólida e os analistas concordam que a reação dos mercados da passada sexta-feira ao encarecimento do custo de seguro de dívida (credit default swaps, ou CDS) do banco não tem base factual. O Deutsche Bank chegou a perder mais de 13% da sua capitalização bolsista a meio da sessão, até terminar o dia com um recuo de apenas 8,53%.

Artigo Exclusivo para assinantes

Assine já por apenas 1,63€ por semana.

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: pcgarcia@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas