Sistema financeiro

CaixaBank lucra mais de 3 mil milhões de euros em 2022

CaixaBank lucra mais de 3 mil milhões de euros em 2022
getty images

O espanhol CaixaBank registou um crescimento de quase 30% do lucro em 2022, para 3,1 mil milhões de euros, numa base recorrente. No entanto, incluindo efeitos extraordinários, o resultado recuou 39,8%

O CaixaBank lucrou 3145 milhões de euros no ano passado, mais 29,7% do que o ganho de 2021, considerando uma base recorrente, sem efeitos extraordinários, anunciou esta sexta-feira o banco espanhol.

Só no último trimestre o lucro foi de 688 milhões de euros, ou seja, mais do que duplicou em relação ao quarto trimestre do ano anterior (104,2%).

Contudo, o resultado total de 2022 representa uma queda de 39,8% do lucro atribuído aos acionistas em relação a 2021 se forem incluídos os efeitos extraordinários, nomeadamente os impactos associados à integração do Bankia.

O Conselho de Administração do CaixaBank irá propor à Assembleia Geral de Acionistas o pagamento de um dividendo no valor de 0,23 euros por ação sobre os resultados de 2022, mais 58% face ao ano anterior.

O dono do português BPI informa ainda que, entre os empréstimos, foi o crédito hipotecário que, no total do ano, teve o crescimento mais baixo (0,7%) e, do terceiro para o quarto trimestre, o único que caiu (0,2%).

No mesmo período, os depósitos cresceram 0,5% (mas caíram em cadeia 1%) e as poupanças a longo prazo subiram 1,6% (aumento de 0,4% em cadeia).

Em 2022, o CaixaBank reduziu o crédito malparado para 10,69 mil milhões de euros, menos 2,94 mil milhões no ano e menos 952 milhões no trimestre.

A nível de receitas, o banco espanhol indica que estas aumentaram 5,8% para 12 mil milhões de euros, impulsionadas por um aumento de 7,7% na margem líquida de juros e de 33,1% nas receitas e despesas com contratos de seguros, com comissões em linha com o ano anterior (0,6%), o que acabou por compensar a queda nas receitas do segmento de participações em banca e seguros (26,2%).

O banco diz ainda que as comissões cresceram 1,7% no ano passado.

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: rrrosa@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas