Energia

Greenvolt recebe investimento de 200 milhões de euros da norte-americana KKR

20 janeiro 2023 7:24

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

Foto: Getty Images

Um fundo do grupo americano de private equity KKR vai subscrever um empréstimo de 200 milhões de euros da Greenvolt, que dentro de três anos pode ser convertido em ações da empresa portuguesa de energias renováveis

20 janeiro 2023 7:24

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A Greenvolt e um fundo de infraestruturas gerido pela KKR, uma das maiores empresas de private equity dos Estados Unidos da América (EUA), acordaram um financiamento desse fundo à empresa portuguesa de energias renováveis no montante de 200 milhões de euros.

Em comunicado divulgado esta sexta-feira, a Greenvolt revela ter acordado a subscrição pelo fundo da KKR de um empréstimo obrigacionista a sete anos, no valor de 200 milhões de euros e com uma taxa de juro anual de 4,75%.

Mas estas obrigações têm uma particularidade: elas são convertíveis em ações a partir do terceiro ano. E os acionistas de referência da Greenvolt, representativos da maioria do capital da empresa, já aprovaram em que condições a KKR pode vir a tornar-se acionista da Greenvolt: terá de pagar 10 euros por ação, mais 25% que o valor médio dos títulos da empresa nos 47 dias anteriores a este acordo.

Esse preço de conversão avalia atualmente a Greenvolt em 1,39 mil milhões de euros (mas se as obrigações forem totalmente convertidas em 20 milhões de novas ações, então a avaliação da Greenvolt subirá para perto de 1,6 mil milhões de euros).

Na sessão de bolsa desta quinta-feira, 19 de janeiro, a Greenvolt terminou o dia cotada a 7,87 euros por ação, com uma capitalização bolsista de 1,09 mil milhões de euros.

A emissão das obrigações está ainda sujeita a aprovação formal pelos acionistas da Greenvolt em assembleia geral a realizar até 31 de maio (embora seja já certa a “luz verde” da maioria do capital da empresa).

Com este acordo os acionistas da Greenvolt aceitaram também a nomeação de um novo administrador não executivo (que representará os interesses da KKR no conselho de administração da empresa de energias limpas).

No seu comunicado a Greenvolt nota que “este investimento, que se soma a outros do fundo de investimento norte-americano no setor das energias renováveis, vai permitir um crescimento mais acelerado da Greenvolt, potenciando também novas oportunidades de negócio”.

“Esta é uma operação de extrema relevância para a Greenvolt, na medida em que vemos na KKR não apenas um investidor estratégico, que reconhece o potencial da empresa, mas também um parceiro, que acredita na estratégia que definimos, isto ao mesmo tempo que possibilitará acelerar ainda mais o cumprimento dos compromissos assumidos”, disse João Manso Neto, presidente executivo da Greenvolt, citado no mesmo comunicado.

“Estou certo de que será uma parceria estratégica geradora de novas oportunidades de crescimento que maximizem o valor da Greenvolt”, acrescentou.

O desenho desta operação do lado da Greenvolt teve a Lazard como assessora financeira principal, contando ainda com a colaboração do BNP Paribas e do Santander, e com a assessoria jurídica da Vieira de Almeida.

Pela KRR, o assessor financeiro foi o banco Mediobanca e a assessoria jurídica foi entregue às firmas Simpson Thacher & Bartlett e Uría Menéndez.

Notícia atualizada às 10h28, esclarecendo que a Greenvolt poderá ficar avaliada em perto de 1,6 mil milhões de euros se e quando a KKR exercer a opção de conversão de obrigações em novas ações da Greenvolt.