Economia

Portugal era uma das lebres da Europa nos anos 70, hoje é uma tartaruga

6 janeiro 2023 12:54

João Silvestre

João Silvestre

Editor de Economia

Crescimento perdeu gás em todo o continente. PIB nacional foi dos que mais desacelerou

6 janeiro 2023 12:54

João Silvestre

João Silvestre

Editor de Economia

A aritmética simples ilustra a impossibilidade: uma economia que cresce 50% em décadas duplica de tamanho a cada 15 anos. Pode acontecer em algumas fases. Já não é normal que os países assim se mantenham durante muitos e longos anos. O PIB português deu um salto de 54% nos anos 70 e não mais repetiu o feito. Acaso tivesse conseguido manter-se aquela velocidade até agora, o PIB português seria hoje quase o dobro do que é. Bateria países como a Bélgica, Áustria ou Irlanda e andaria perto de metade do espanhol, que é hoje cerca de cinco vezes o português. Esta realidade alternativa exigiria que ele se mantivesse à velocidade dos anos 70, quando Portugal era uma das economias mais rápidas da Europa. Contas do Expresso a partir da base de dados AMECO, da Comissão Europeia, mostram que o PIB nacional avançou 54% nos anos 70 e, nessa década, entre os países para os quais existem estatísticas, apenas perdeu para a Grécia, que nessa fase deu um salto de 55,8%.

Portugal era, nesse tempo, uma das lebres da Europa. Mas, ao contrário da célebre fábula de Esopo, não ficou parada a descansar à sombra do seu sucesso. Foi pior do que isso. Transformou-se em tartaruga, pois tem vivido anos a marcar passo. É verdade que a maior parte dos países perdeu ritmo nas últimas décadas, mas Portugal foi dos que mais desacelerou. Nos anos 80 já só acumulou um crescimento de 32,3%. Na década de 90 foram apenas 29,4%. E nas primeiras duas décadas do século XXI tudo piorou: 5,7% e 6,9%. Nos 20 primeiros anos do novo milénio apenas Itália e Grécia foram piores.