Economia

Lojas Ara, na Colômbia, prontas a bater o Pingo Doce, em Portugal

3 dezembro 2022 9:16

Os trabalhadores da ARA na inauguração da loja mil, em Cartagena, na Colômbia

Entre investimento próprio e franquias, a Ara quer liderar na Colômbia e ser o segundo negócio do grupo Jerónimo Martins, depois da Polónia

3 dezembro 2022 9:16

Durante os protestos populares de maio de 2021, os clientes da Ara saíram à rua para defender as lojas do grupo Jerónimo Martins contra tentativas de saque. “Foi a demonstração de que fazemos a diferença nas suas vidas”, diz Pedro Soares dos Santos, confiante no percurso da marca que também vai apostar nas franquias para continuar a crescer.

Sob o lema “alegria ao melhor preço”, a Ara assume o objetivo de “democratizar o consumo” num país dominado pela economia informal, onde 40% da população vive com menos de 2,5 euros por dia. Trata os clientes por “vizinhos” para dar ênfase ao formato de proximidade que escolheu para o país e eles referem-se à loja onde vão fazer as compras diárias a cantar e a dançar ao ritmo da música ambiente como “mi Arita”, o local onde muitos compraram pela primeira vez uma garrafa de vinho, um cosmético ou até pão quente.