Economia

OCDE prevê que zona euro escape a recessão no próximo ano

22 novembro 2022 10:43

yves herman/reuters

Economic Outlook da OCDE espera que a economia da zona euro cresça 0,5% em 2023. É um forte abrandamento face a 2022, mas evitando uma contração anual do Produto Interno Bruto

22 novembro 2022 10:43

Depois da Comissão Europeia, é agora a vez de a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) apontar para um forte abrandamento da economia da zona euro em 2023, mas, ainda assim, mantendo-se no verde, ou seja, evitando uma contração anual do Produto Interno Bruto (PIB).

No Economic Outlook, publicado esta terça-feira, a OCDE aponta para um crescimento do PIB da zona euro de 3,3% este ano - ligeiramente acima dos 3,2% esperados por Bruxelas - e de 0,5% em 2023 - mais uma vez, ligeiramente acima da projeção da Comissão Europeia (CE), que é de 0,3%.

São números modestos - e abaixo dos previstos para Portugal -, mas, ainda assim, positivos. Com a guerra na Ucrânia a prolongar-se, e a escalada dos preços sem dar tréguas, levando o Banco Central Europeu a apertar a política monetária e os juros a subir em força, temia-se que a zona euro ficasse no vermelho em 2023, ou seja, que o PIB caísse em termos anuais.

Mas não é isso que indicam as últimas projeções. Tanto a Comissão Europeia como a OCDE esperam que a economia da zona euro resista, conseguindo um ligeiro crescimento no próximo ano.

Ainda assim, nem todas as economias do espaço da moeda única escapam a uma recessão anual em 2023, segundo as projeções da OCDE.

É o caso da Alemanha, a maior economia da zona euro. A organização sedeada em Paris aponta para uma contração do PIB germânico no próximo ano de 0,3%. Ainda assim é mais otimista do que Bruxelas, que espera que a economia alemã recue 0,6% em 2023.

Já França e Itália - as outras duas maiores economias do euro - devem conseguir manter-se no verde no próximo ano, segundo a OCDE. A organização aponta para crescimentos económicos de 0,6% e de 0,2%, respetivamente.