Economia

Pensionistas arriscam perder 600 euros por ano a partir de 2024 (ou mais, até ao fim da vida)

6 setembro 2022 18:43

Carlos Esteves

Carlos Esteves

Infográfico

Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social

mário cruz/lusa

Prestação extraordinária no valor de meia pensão terá, a prazo, custos para os pensionistas. Perda acumulada até ao final da vida para um pensionista com 65 anos e que recebe uma reforma de 886,4 euros brutos mensais em 2022, ultrapassa os 13.400 euros, segundo as simulações do economista Jorge Bravo para o Expresso. E pode chegar aos 15 mil euros

6 setembro 2022 18:43

Carlos Esteves

Carlos Esteves

Infográfico

Em outubro, os reformados vão receber um cheque equivalente a meia pensão e, em janeiro do próximo ano, a maioria contará com um aumento de aproximadamente 4%. No curto prazo terão mais dinheiro no bolso mais cedo, numa altura em que o custo de vida está a disparar mas, a médio e longo prazo, com esta fórmula do Governo de António Costa, vão perder dinheiro. Quanto? De acordo com simulações feitas pelo economista e professor da Universidade Nova de Lisboa, Jorge Bravo, para o Expresso, um reformado de 65 anos poderá perder, em média, cerca de 600 euros por ano até ao final da vida. As contas não são para levar ao euro, mas dão uma ideia sobre o custo do “contrato com as gerações futuras” a que António Costa aludiu esta segunda-feira, quando apresentou o programa “famílias primeiro”.