Economia

“A Web3 não é uma zona sem lei”. EUA fazem primeiras detenções por abuso de informação privilegiada com criptomoedas

22 julho 2022 15:04

sean gladwell / getty images

“Fraude é fraude é fraude, seja no blockchain ou em Wall Street”. Estados Unidos fazem três detenções por abuso de informação privilegiada nas criptomoedas

22 julho 2022 15:04

Um antigo diretor da Coinbase e mais dois cúmplices foram esta quinta-feira detidos pelas autoridades norte-americanas. Motivo: aproveitaram informações confidencias sobre novos tokens que iam ser listados na plataforma para ganharem dinheiro.

Apesar de as criptomoedas estarem muito longe do nível de regulação dos mercados de capitais, os promotores norte-americanos não hesitaram em acusar os três indivíduos de crime de abuso de informação privilegiada e fraude eletrónica. “Fraude é fraude é fraude, seja na blockchain ou em Wall Street”, disse o promotor que inaugurou o precedente, avançado com o primeiro caso criminal de abuso de informação privilegiada ('insider trading') nesta área.

“As acusações são mais um lembrete de que a Web3 não é uma zona livre de leis. No mês passado, anunciei o primeiro caso de negociação de informações privilegiadas envolvendo NFTs e hoje anuncio o primeiro caso de negociação de informações privilegiadas envolvendo mercados de criptomoedas. A nossa mensagem com essas acusações é clara: fraude é fraude é fraude, seja na blockchain ou em Wall Street”, afirmou o procurador de Nova Iorque.

Num processo paralelo, a SEC, o regulador dos mercados norte-americano, acusou também nove dos 25 tokens negociados no esquema de serem títulos. Saber se algumas criptomoedas podem ser consideradas títulos é uma questão controversa, abrindo-se mais uma frente de batalha neste mercado.

Para já, a Coinbase recusa a acusação. “A Coinbase não lista títulos. Fim da história”, garantiu o diretor jurídico da empresa.