Economia

Biden quer enterrar o neoliberalismo e promover empregos mais bem pagos

10 junho 2022 8:40

Presidente dos EUA, Joe Biden

reuters

Para o Presidente dos EUA, as receitas neoliberais geram "maior desigualdade, menor crescimento, menor concorrência e menor inovação"

10 junho 2022 8:40

O Presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Joe Biden, defendeu esta quinta-feira perante empresários do continente americano que é hora de enterrar o neoliberalismo e adotar políticas que fomentem trabalhos mais bem pagos.

"Temos de atualizar a nossa receita para o crescimento económico. Na minha opinião, é hora de enterrar a economia de gotejamento", disse o chefe de Estado, num evento da IX Cimeira das Américas, a decorrer em Los Angeles, nos EUA.

O efeito de gotejamento ('trickle down') é uma teoria económica que teve grande repercussão durante a presidência de Ronald Reagan, entre 1981 e 1989, e que sugere que reduzir os impostos às empresas e aos mais ricos estimula o investimento e promove a criação de emprego.

Biden defendeu que "se pode fazer qualquer trabalho pagando bons salários e respeitando os direitos dos trabalhadores", para que as famílias tenham maior bem-estar e assim "ganham todos", incluindo os empresários.

Pelo contrário, disse, as receitas neoliberais, que também foram criticadas no seu tempo pelo ex-presidente Barack Obama (2009-2017), geram "maior desigualdade, menor crescimento, menor concorrência e menor inovação".

Biden insiste na sindicalização

O Presidente reiterou também o seu apoio à sindicalização dos trabalhadores, afirmando-se mais de uma vez como "Presidente pró-sindicatos".

E defendeu o recurso a organismos financeiros internacionais, como o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para combater as desigualdades na região.

"Por exemplo, temos de facilitar que os países da América Latina e Caraíbas desenvolvam infraestruturas 5G sem ter de escolher entre investir num futuro digital ou em energias renováveis", disse.

Biden chegou na quarta-feira a Los Angeles para inaugurar a IX Cimeira das Américas, a primeira que se celebra nos Estados Unidos desde a primeira, em Miami, em 1994.