Economia

PPR são mais flexíveis e têm mais benefícios fiscais

12 março 2022 21:18

Elisabete Miranda

Elisabete Miranda

texto

Jornalista

Sónia M. Lourenço

Sónia M. Lourenço

texto

Jornalista

PPR podem ser resgatados em qualquer altura e não perdem a totalidade dos benefícios fiscais. Não são verdadeiros complementos de reforma

12 março 2022 21:18

Elisabete Miranda

Elisabete Miranda

texto

Jornalista

Sónia M. Lourenço

Sónia M. Lourenço

texto

Jornalista

Os Certificados de Reforma foram, na sua génese, comparados com os Planos Poupança Reforma (PPR), mas entre o epíteto conquistado na altura — “PPR públicos” — e a realidade há uma grande distância. Começa nas características de cada produto e acaba nos benefícios fiscais.

Desde logo, no sector privado, há muitos PPR, bem diferentes entre si. “Há dezenas de produtos que podemos subscrever, com diferentes políticas de investimento”, situa António Ribeiro, da Deco/Proteste. Já nos Certificados de Reforma (CR), “há um único produto associado a um fundo. Logo, há uma só política de investimento”. Mais. Entre os PPR, há uns que têm rentabilidade mínima e capital garantidos, outros não. Nos CR não há capital garantido, nem se asseguram rendibilidades, embora a prazo se revele mais vantajoso (ver texto à esquerda). E ainda: os PPR podem ser transferidos para outro produto, ou gestora, os Certificados de Reforma, não.