Economia

Fundo de Resolução pode ter de pagar dívidas de Angola ao Novo Banco

26 novembro 2020 23:30

Gustavo Costa

Correspondente em Luanda

António Ramalho tem €358 milhões para receber do Banco Económico até 2024, 20% dos quais deviam ter chegado há um mês

tiago miranda

Banco Económico defende que deverá pagar cerca de €75 milhões esta semana, um mês após o vencimento

26 novembro 2020 23:30

Gustavo Costa

Correspondente em Luanda

O antigo Banco Espírito Santo Angola (BESA), hoje Banco Económico, falhou o prazo para a liquidação de parte de um dos empréstimos que recebeu do Novo Banco em 2014, no âmbito das medidas de saneamento que Angola implementou após a resolução do BES. Este é um dos créditos do banco português que está protegido pelo mecanismo que pode obrigar a capitalizações do Fundo de Resolução, que pode assim ver crescer o valor a gastar no próximo ano — e o Governo já deixou claro que em 2021 o Fundo terá de se financiar junto da banca, sem qualquer empréstimo público.

O Banco Económico, de que o Novo Banco tem 9,7% do capital, devia ter pago 20% do crédito de 425 milhões de dólares (€358 milhões, ao câmbio atual) que contratou há seis anos, ou seja, 85 milhões de dólares (€72 milhões), até ao final do passado mês de outubro. Não aconteceu, e o capital em dívida permanece o mesmo, de acordo com informação apurada pelo Expresso junto de várias fontes.