O prato forte da jornada

Arouca vs Vitória de Guimarães: Bife à Caetano ou Arroz de pato?

14 setembro 2022 12:36

No último dia da jornada sete da Primeira Liga, o Arouca recebe o Vitória de Guimarães. No confronto gastronómico, sobem à mesa o “Bife à Caetano”, da Casa dos Bifes Caetano, para defrontar o “Arroz de Pato” do Restaurante Típico Batista. O Prato Forte da Jornada é uma iniciativa Boa Cama Boa Mesa, com o apoio da Betclic.

14 setembro 2022 12:36

É ao princípio da tarde (15h30) que o apito se faz ouvir no Estádio Municipal de Arouca. Em campo vão estar o clube da casa, o Arouca Futebol Clube, e o Vitória Sport Clube, conhecido como Vitória de Guimarães, em jogo a contar para sétima jornada da Primeira Liga de Futebol. Gastronomicamente, defrontam-se o “Bife à Caetano” do restaurante Casa dos Bifes Caetano, em Alvarenga, capitaneado por Maria José, e o “Arroz de Pato” do Restaurante Típico Batista, sedeado na “Cidade Berço”, liderado também por uma Maria José.

Arouca Futebol Clube – “Bife à Caetano”

Bife à Caetano

Bife à Caetano

Sente-se o orgulho nos olhos de Maria José, a proprietária do restaurante Casa dos Bifes Caetano, quando veste a camisola do Arouca Futebol Clube. Tanto orgulho, como quando fala do “seu” bife de Carne Arouquesa, a estrela da ementa deste espaço. Já foi notícia no canal National Geographic e na BBC, por ser único no mundo e o prato ideal para os visitantes dos Passadiços do Paiva recuperarem forças depois do passeio. “Somos uma atração turística”, diz, sobre o seu restaurante em Alvarenga, a 20 quilómetros de Arouca. Quanto ao bife, “é cortado na hora, com um quilo, no mínimo” o que, retirado o osso, resulta num naco de 600 gramas por pessoa (a partir de €15/kg), refere Maria José. Após feito o corte, é temperado com sal grosso, e selado numa frigideira de ferro. O tempo de confeção varia “consoante o gosto do cliente”.

Ao ataque, Maria José, com o Bife à Caetano, de carne Arouquesa

Ao ataque, Maria José, com o Bife à Caetano, de carne Arouquesa

A proprietária do restaurante recomenda que seja apreciado "mal passado, para se aproveitarem os sucos”. É depois regado com um molho, preparado com massa de pimentão, alho, louro, vinho verde, piripiri, e o suco da carne, que se junta na travessa. Caso prefira, ou se aparecer um grupo com crianças, esta especialidade pode ser servida sob a forma de um hambúrguer, sempre acompanhado com batatas fritas em espiral. O segredo do sucesso e de tantas vitórias gastronómicas, reside na excelência da carne, toda de Arouca, certificada como DOP, garante Maria José. E a proprietária da Casa dos Bifes Caetano sabe do que fala. Afinal, são 36 anos à frente do restaurante, a servir, em média, 100 kg de bifes, diariamente. A Casa dos Bifes Caetano (EN 225, Albisqueiros, Alvarenga. Tel. 256955150) a escassa distância de Arouca, encerra à segunda-feira.

Vitória Sport Clube - “Arroz de Pato”

Arroz de Pato

Arroz de Pato

Da sala do Restaurante Típico Batista ouve-se o treino dos jogadores do Vitória Sport Clube, uma vez que a Academia Vitória SC fica a escassos 850 metros. Não é de espantar que, quando o treino acaba, muitos dos elementos do plantel procurem este local para recuperarem à mesa do exigente plano de treinos. Aqui, sentem-se em casa, uma vez que a decoração do Restaurante Típico Batista, além de utensílios da lavoura, está decorado com a camisola e cachecóis do clube de Guimarães. Maria José é quem os recebe à porta e os leva à mesa, mas, se for preciso, corre para a cozinha para meter a mão nos tachos e confecionar as especialidades regionais. Nesta localização há 35 anos, o restaurante já leva mais de 50 de portas abertas, assumindo-se como guardião do receituário regional.

Maria José contra-ataca com o Arroz de Pato

Maria José contra-ataca com o Arroz de Pato

No confronto gastronómico desta semana, Maria José veste a camisola e ataca com “Arroz de Pato” (€16), um dos pratos preferidos dos clientes. O segredo está “na cuidada seleção dos produtos que usamos para o confecionar”. Para chegar à mesa, começa-se por cozer o pato, guardando-se a água para usar mais à frente na preparação. Depois, conta Maria José, “faz-se um estrugido, corrige-se o tempero e adiciona-se o arroz”. Deixa-se cozer até estar, salienta, “quase no ponto, para o colocar numa assadeira, já com a carne do pato desfiada, cobrindo-se com bacon e chouriça. Retira-se quando o enchido estiver douradinho”. O “Arroz de Pato” é acompanhado com uma salada de tomate coração de boi, na época, e com alface e cebola. O Restaurante Típico Batista (Rua A, 280, Guimarães. Tel. 253432216) encerra apenas ao domingo, ao jantar.

O Prato Forte da Jornada é uma iniciativa Boa Cama Boa Mesa, com o apoio da Betclic, que ao longo de toda a temporada vai colocar em confronto as receitas tradicionais das regiões dos clubes que disputam a Primeira Liga de Futebol. Para a semana, saiba que pratos fortes representam o Desportivo de Chaves e o Estoril Praia.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!