Boa Cama Boa Mesa

Nem tudo é como antes, nesta nova (velha) taberna de Abrantes

23 janeiro 2023 11:49

A Velha, em Abrantes

Peixe de rio, porco e caça protagonizam a lista de produtos locais deste restaurante em Abrantes, que até 2021, funcionou como uma típica taberna e mercearia. O local é hoje uma ode às receitas antigas, preparadas, maioritariamente, com produtos do concelho. A consultoria está a cargo do chef Rodrigo Castelo, do premiado restaurante Ò Balcão, em Santarém

23 janeiro 2023 11:49

“Divirtam-se e partilhem tudo o que de bom a vida nos traz”. A frase está inscrita no cimo da ementa do restaurante A Velha, casa de bem comer, inaugurada em agosto de 2021, em Abrantes, pelo casal Miguel e Joana Mariano. O nome é um tributo “a Dona Nazareth, a proprietária da taberna”, conta Miguel Mariano. As portas de salão, típicas das tascas antigas, dão as boas-vindas e uma outra, também original, dá acesso à primeira sala. Na parede oposta, as cores de outrora e as contas de Dona Nazareth contam a história da fundadora. As outras duas salas, uma contígua à entrada e outra no piso de baixo, prolongam-se para os respetivos terraços.

Tártaro de vitela com tostas, Escabeche de perdiz, com tostas e batatas fritas finíssimas e Bacalhau da Velha, puré de feijão, couve salteada e broa

Tártaro de vitela com tostas, Escabeche de perdiz, com tostas e batatas fritas finíssimas e Bacalhau da Velha, puré de feijão, couve salteada e broa

Pratos antigos e fotografias pertencentes ao espólio fotográfico da Câmara Municipal de Abrantes revestem as paredes do restaurante A Velha, ao lado de vetustos louceiros das casas dos avós de ambos, um dos quais utilizado como mostruário do vinhos da carta. Despretensiosas, as peças de mobiliário em madeira têm nos tampos em mármore a simplicidade, que se coaduna com este espaço descontraído e simultaneamente intimista.

A cozinha do restaurante A Velha é contemporânea: “É comida de conforto feita a partir de produtos endógenos e inspirada em receitas antigas”, explica o proprietário. No fundo, “é uma homenagem às nossas avós”, continua, e “às pessoas da terra”, complementa Joana Mariano. A consultoria gastronómica está a cargo do chef Rodrigo Castelo, do premiado restaurante Ò Balcão, em Santarém, que em 2022 conquistou um Garfo de Prata do guia Boa Cama Boa Mesa.

A Velha, em Abrantes

A Velha, em Abrantes

“Na mesa” é de provar o “Patê de fígado da velha” (€1,50) e os “Tremoços temperados” (€1). A partilha começa logo aqui, seguindo-se as entradas, “Para iniciar” a refeição. “Sopa de barbo e suas ovas” (€4,50) e “Sopa da pedra” (€4,50), com legumes d’ As Delícias da Quintinha, em Abrantes, são duas das nove sugestões a considerar. “Ceviche do rio” (€11) é escolha a ter em conta, até porque o peixe de rio, matéria do conhecimento do pescador Carlos Serras, é rei nesta casa, ou o Escabeche de perdiz, com tostas e batatas fritas finíssimas (€8). “Salada da matança” (€7), elaborado com febra, coração e fígado de porco cortados às fatias e servidos em molho de escabeche, é outro dos pratos a comer, ou não fosse esta carne muito comum na cozinha abrantina. Nas recomendações, é de destacar o “Tártaro de vitela com tostas” (€10), cuja carne provém d’ Os Margaridos, matadouro e talho, fundado em 1942 e que está, desde 2012, localizado em Abrantes.

Lombos de lúcio-perca panados, com arroz de berbigão

Lombos de lúcio-perca panados, com arroz de berbigão

“Para finalizar”, momento que também dita a partilha n’ A Velha, há “Lombos de lúcio-perca panados, com arroz de berbigão” (€14), caldoso e saboroso, ou “Bacalhau da Velha, puré de feijão, couve salteada e broa” (€15). Na lista, constam ainda a “Cabidela pica no chão” (€14), o “Pernil de porco confitado 24 horas, com arroz de coentros e limão” (€16) ou a “Bochecha de vitela a 33 horas com couve roxa picklada e amêndoa tostada (€16).

Bochecha de vitela, com couve roxa picklada e amêndoa tostada

Bochecha de vitela, com couve roxa picklada e amêndoa tostada

“Velhoses com caramelo salgado e presunto” (€5), sem cenoura nem abóbora, fofas por dentro e estaladiças q.b. por fora, são um sucesso n’ A Velha e continuam a ser muito pedidas no verão. Não poderia faltar a “Tigelada de Abrantes”, feita com “crocante de amêndoa e gelado de queijo de cabra” (€5), este último feito nos Gelados Lis, em Abrantes. O “Pudim de azeite, com areia de nozes e lemon curd de poejo” (€5,5) é um tributo a este sumo da azeitona, “porque Abrantes está muito ligada ao azeite”, justifica Joana Mariano.

Velhoses com caramelo salgado e presunto

Velhoses com caramelo salgado e presunto

Como se pode constatar, remata Miguel Mariano “valorizamos o produto local, tradicional, sem o descaracterizarmos”. O restaurante A Velha (Alameda de Santo António, 18, Abrantes. Tel. 241371125) está aberto de quinta a terça-feira, das 12h30 às 15h00 e das 19h30 às 22h00.

A Velha, em Abrantes

A Velha, em Abrantes

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!