Boa Cama Boa Mesa

Receitas antigas e quase esquecidas dão origem à Carta Gastronómica da Região de Coimbra

9 agosto 2022 12:38

municipio de gois

Cada um dos 19 municípios identificou seis receitas. O resultado é um documento que, além de relembrar o passado, perpétua a tradição gastronómica no futuro.

9 agosto 2022 12:38

A ideia surgiu quando a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra se inscreveu para ser Região Europeia de Gastronomia 2021-2022. Tinha, como objetivo, valorizar o património cultural da região, através da promoção da gastronomia enquanto marca distintiva. Esse objetivo concretizou-se e surge então a “Carta Gastronómica da Região de Coimbra”, que contou com a participação dos 19 Municípios da Região, da Escola de Hotelaria e Turismo, e com coordenação editorial de Guida Cândido.

Mais do que um livro de receitas, ao longo das 294 páginas da “Carta Gastronómica da Região de Coimbra” percorre-se a história, os costumes e os saberes populares que deram origem, por vezes em tempos difíceis, a receitas que hoje, algumas são clássicos, outras que, se não fosse esta recolha, seriam levadas pela espuma dos dias e cairiam no esquecimento. Ao consultar a carta, encontra sempre uma perspetiva histórica, sociológica e antropológica, com uma abordagem mais técnica ao nível da informação nutricional.

Torresmos

Torresmos

cm arganil

Após feita a seleção, seguiu-se a inventariação do contexto histórico, social e económico da receita, com indicação das suas características, estória, formas de comercialização e disponibilidade, em extinção, oferta contínua ou recuperação, e fontes históricas, de forma a fazer jus à importância deste património imaterial e de modo a produzir um documento o mais densificado e fiel possível.

Num território tão diverso, da serra até ao mar, a “Carta Gastronómica da Região de Coimbra” divide-se por receitas “Do mar”, onde se encontra “Sardinha torrada na telha com batata assada na areia”, da região de Cantanhede, segue-se “Do Fiel Amigo”, com “Bacalhau à moda dos enterros” de Mira, e “Do rio” com “Caldeirada de enguias à moda de armazéns de Lavos”, da Figueira da Foz. “Do açougue” destaque para as “Sopas do casamento” de Miranda do Corvo.

Maranhos

Maranhos

Na secção “Da matança”, surge o “Moado”, de Soure, um enchido com um sabor ligeiramente doce, “Da capoeira” destaca-se o “Arroz de pato à Alfarelos” também de Soure, enquanto “Da horta”, suscitam curiosidade as “Batatas de Mira assadas na areia”, de Mira. “Do grão e da farinha” aparece o “Bolo de cornos” de Mortágua, “Do Açúcar” as “Gamelinhas” de Góis, feitas com mel, castanha e noz, pontuados com o aroma e o sabor da canela.

A “Carta Gastronómica da Região de Coimbra” termina com a secção “Da fermentação”, com exemplos como o “Licor de leite” de Condeixa-a-Nova. A CIM - Região de Coimbra (Rua do Brasil, 131, Coimbra. Tel. 239 795 200) oferece informação sobre a região e atrativos turísticos. Já na página Região de Coimbra - Região Europeia de Gastronomia encontra a “Carta Gastronómica da Região de Coimbra” disponível para descarregar para computador, tablet ou telefone.

Bola de Ançã

Bola de Ançã

A Região de Coimbra: Região Europeia de Gastronomia 2021 foi um dos cinco finalistas do PNT - Prémio Nacional de Turismo, na categoria de Turismo Gastronómico. O PNT é promovido pelo Expresso e pelo BPI - e conta com o patrocínio do Ministério da Economia e da Transição Digital, o apoio institucional do Turismo de Portugal, e o apoio técnico da Deloitte enquanto knowledge partner –, distingue as melhores empresas, práticas e projetos turísticos em Portugal.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!