Blitz

Condenado homem que fingiu ser funcionário dos Coldplay e introduziu pessoas em concerto de Coimbra a troco de 75 euros

Coldplay no Estádio Cidade de Coimbra
Coldplay no Estádio Cidade de Coimbra
Rita Carmo

O Tribunal de Coimbra considerou culpado um homem que se fez passar por membro do ‘staff’ dos Coldplay num dos concertos da banda inglesa na cidade dos estudantes. Tinha sido detido em flagrante delito e vestia indumentária igual à dos demais seguranças do evento

O Tribunal de Coimbra condenou um homem a uma pena de prisão, suspensa na sua execução, por se ter feito passar por membro do 'staff' dos Coldplay, introduzindo pessoas com credenciais falsas em concerto, a troco de dinheiro. O cidadão estrangeiro foi condenado, na segunda-feira, em julgamento sob a forma de processo especial sumário, a uma pena de prisão de nove meses, suspensa na sua execução pelo período de um ano, e ainda a uma pena de multa de 73 dias, à taxa diária de 5 euros (total de 365 euros).

O homem tinha sido detido em flagrante delito na quinta-feira, data do segundo concerto dos Coldplay em Coimbra, por inspetores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), depois de ter conseguido introduzir duas pessoas com credenciais falsas no concerto dos Coldplay, que decorreu no Estádio Cidade de Coimbra.

Apresentando-se com indumentária idêntica à dos demais seguranças do evento - usando blusão, calças, sapatilhas, boné pretos e óculos escuros -- conduziu duas pessoas ao interior do recinto, depois de terem passado pelo controlo do perímetro e zona de revista. A entrada no recinto foi efetuada a troco do pagamento de 75 euros, por pessoa, ao arguido. A ASAE acabou por identificar essas duas pessoas no recinto, a assistir ao concerto, tendo depois também localizado o arguido.

Para além do crime de falsificação ou contrafação de documento e do crime de usurpação de funções, o homem respondeu ainda pelo crime de venda ou ocultação de produto, em coautoria material, com outro cidadão estrangeiro, pela venda de artigos que ostentavam a marca Coldplay, mas não eram produtos originais. O Tribunal de Coimbra condenou também este segundo arguido, em julgamento sob a forma de processo especial sumário, a uma pena de multa de 72 dias, à taxa diária de 5 euros (total de 360 euros).

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: clubeexpresso@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas