Blitz

Iggy Pop e os ‘miúdos’ juntos em “Every Loser”: aos 75 anos, a lenda do rock and roll ainda não sabe o que é abrandar

10 janeiro 2023 17:05

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Iggy Pop

jimmy fontaine

“Every Loser”, o 19º álbum a solo de Iggy Pop, mostra o padrinho do punk tão fervilhante como sempre. Rodeado por uma equipa de músicos ‘jovens’ – incluindo membros dos Pearl Jam, Red Hot Chili Peppers e o malogrado Taylor Hawkins, dos Foo Fighters –, vai do punk destemido aos interlúdios sarcásticos, sempre com a mesma garra. Fá-lo com naturalidade e descontração, do primeiro ao último ‘petardo’

10 janeiro 2023 17:05

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Em 1996, a longevidade de Iggy Pop, um dos humanos que mais à letra levaram o mote “sexo, drogas e rock’n’roll”, já era um caso de estudo. Em “Trainspotting”, filme de culto que nesse ano chegou às salas de cinema e ao imaginário de toda uma geração, a namorada do protagonista Mark Renton (toxicodependente dos sete costados, encarnado por Ewan McGregor) ralhava-lhe: “Não podes ficar aí todo o dia, com a tua heroína e o teu Ziggy Pop.” “É Iggy Pop”, corrigia ele. “Não interessa, já morreu”, acreditava Diane (interpretada por Kelly Macdonald). De pouco adiantava que Renton a tornasse a corrigir (“Não morreu nada, ainda no ano passado andou em digressão!”) ou que, na parede do quarto do heroinómano melómano, se visse um poster do torso sofrido de Iggy Pop (cuja ‘Lust for Life’ abrilhantava, de resto, a banda sonora do filme de Danny Boyle). Para a nova geração, ali representada por uma garota liceal, o homem que os pais batizaram como James Newell Osterberg Jr. era uma relíquia do passado, talvez vivo, talvez não. E no entanto... quase 30 anos depois, o norte-americano acaba de lançar um novo álbum, o quinto na última dúzia de anos (se aos discos a solo acrescentarmos “Ready To Die”, com os Stooges, em 2013).